ALGARVE

IP lança em breve obras para eletrificação de dois troços da Linha do Algarve

A Infraestruturas de Portugal (IP) prevê lançar nas próximas semanas as empreitadas para a eletrificação dos troços ferroviários Tunes/Lagos e Faro/Vila Real de Santo António, na Linha do Algarve, num investimento de 65 milhões de euros, anunciou ontem a empresa.

“Estamos à espera apenas das últimas autorizações. Os projetos de execução e o processo de avaliação ambiental Faro/Vila Real de Santo António estão concluídos, enquanto a avaliação ambiental do troço Tunes/Lagos está em fase de conclusão”, disse aos jornalistas o vice-presidente da IP, Carlos Fernandes, à margem das comemorações do Dia da Cidade Faro.

As empreitadas para a eletrificação da totalidade da linha ferroviária do distrito de Faro têm um valor global de 65 milhões de euros, comparticipado em 75% por fundos comunitários, e inserem-se no Plano de Investimentos da Ferrovia 2020.

De acordo com o responsável da IP, a eletrificação dos dois troços ferroviários “vai permitir a modernização da Linha do Algarve, com a automatização de todas as passagens de nível e a supressão de outras duas”.

“Será um passo importante para a requalificação do sistema ferroviário do Algarve que permitirá à CP utilizar comboios mais novos, modernos, confortáveis e mais rápidos”, sublinhou.

Carlos Fernandes estima que com a eletrificação de toda a linha e com o novo material circulante “exista uma economia de tempo entre os 25 e os 30 minutos na ligação Vila Real de Santo António/Lagos”.

O vice-presidente da IP disse também que a empresa propôs ao Governo “uma melhoria significativa” da ligação ferroviária entre Lisboa e Faro, “um projeto que permite um conjunto de variantes à linha atual na zona da serra, com uma redução de tempo” na ligação entre as duas cidades.

Segundo Carlos Fernandes, a proposta para melhorar a ligação Lisboa/Faro foi feita ao Governo no âmbito do Plano Nacional de Infraestruturas, com “mais de 100 milhões de euros para a próxima década”.

O responsável acrescentou que se encontra também “em discussão um projeto da nova travessia ferroviária em Lisboa, que esteve prevista há alguns anos e que está colocada no Plano Nacional de infraestruturas, investimento que por si só permite ganhar cerca de meia hora entre Faro e Lisboa”.

“Gostaríamos que estes dois projetos arrancassem, ou seja, tivessem a aprovação do Plano Nacional de Infraestruturas, porque juntos poderão tirar cerca de uma hora na ligação entre Lisboa e Faro”, sublinhou.

Segundo Carlos Fernandes, com as duas intervenções estaria em causa um objetivo de duas horas na ligação Lisboa/Algarve, “contribuindo para um sistema ferroviário com outro nível de competitividade”.

Tamanho da Fonte
Contraste
Bloggers %d como este: