Irlandeses e britânicos mantêm turismo algarvio em alta

Os meses de julho e agosto confirmaram a recuperação do mercado britânico, que esteve a descer na região nos últimos anos devido ao efeito do anúncio da saída do Reino Unido da União Europeia. Britânicos e irlandeses compensaram assim as quebras dos mercados alemão e holandês, mantendo o turismo algarvio no bom caminho

Em agosto, a região algarvia teve mais turistas irlandeses e britânicos que no mesmo mês do ano passado, acabando por compensar as quebras que continuaram a ser protagonizadas pelos mercados alemão e holandês.

Os dados, que foram tornados públicos pela Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), na passada quinta-feira, revelam também que o volume de vendas continua em alta.

De acordo com os dados da associação hoteleira, em agosto, a região algarvia apresentou uma taxa de ocupação global média/quarto ligeiramente abaixo que a do mês homólogo do ano passado. Concretamente, a taxa média situou-se nos 93,6%, -0,4% em termos homólogos.

A contribuir para a ligeira descida da ocupação registada em agosto estiveram mercados como o alemão (-19,1%) e o holandês (-5,4%). Mas estas importantes quebras acabaram por ser compensadas pelas subidas que continuaram a ser protagonizadas pelos mercados irlandês (+26,2%) e o britânico (+2,9%).

Ou seja, apesar do arrastar do “Brexit”, os britânicos e os seus vizinhos irlandeses continuam a destacar-se este verão pelo crescimento no Algarve. Já no mês de julho, os ingleses tinham registado um aumento de 6,4% em dormidas nos hotéis da região, ajudando desta forma a esbater as quedas médias de 3% que a hotelaria registou nesse mês, provocadas sobretudo pela descida de alemães e holandeses. E esta tendência manteve-se em agosto, com destaque para a subida dos ingleses, que no acumulado do ano já superam os 3,5%.

A AHETA sublinha ainda que o volume de vendas registou, em agosto de 2019, um aumento de 2,1% face ao mesmo mês do ano anterior, registando igualmente um aumento acumulado de 2,7% desde o início do ano.