Lagos: 10 anos a viajar pela época das descobertas

A cidade de Lagos vai ser palco da décima edição do Festival dos Descobrimentos, entre 1 e 5 de maio, voltando assim a recordar o período das grandes descobertas. Um dos pontos altos é o tradicional cortejo que envolve mais de dois mil figurantes. O tema deste ano é “Os 600 anos da Descoberta da Ilha da Madeira”

O início do próximo mês será marcado, em Lagos, pela realização da décima edição do Festival dos Descobrimentos. Entre os dias 1 e 5 de maio, o município volta assim a empreender “uma viagem ao passado revivendo cronologias, gentes e ambiências do período das descobertas”.

Recorde-se que, devido à sua localização e importância económica, Lagos tornou-se um ponto central para os descobrimentos portugueses, a partir do século XV. A cidade foi um dos principais portos durante o período das grandes descobertas, tendo sido o ponto de partida de várias expedições navais nos séculos XV e XVI.

O Festival dos Descobrimentos pretende, deste modo, recordar este passado de grandes aventuras, através de um evento de cinco dias repletos de muita animação, recriações históricas, exposições, visitas comentadas e uma feira quinhentista (de 3 a 5), que irá decorrer na Praça do Infante, Jardim da Constituição e ruas do centro histórico da cidade.

A edição deste evento tem como tema “Os 600 anos da Descoberta da Ilha da Madeira”, arquipélago constituído pelas ilhas do Porto Santo e da Madeira, esta última descoberta em 1419 pelos navegadores João Gonçalves Zarco, Tristão Vaz Teixeira e Bartolomeu Perestrelo, fazendo parte da sua tripulação muitos mareantes oriundos do Algarve e em particular de Lagos.

O programa arranca no dia 1 de maio, com duas visitas comentadas – uma primeira, de manhã, sobre o tema “As Caravelas de Lagos e o Cais das Descobertas” e outra, da parte da tarde, sobre “A Casa da Guiné e as Alfândegas de Lagos”.

Para o dia 2, está prevista uma conferência sobre os 600 anos da descoberta da ilha da Madeira, a decorrer a partir das 15h00, nos antigos paços do concelho, e cujos oradores convidados serão José Manuel Pereira e João Abel da Fonseca. Nesse mesmo dia e local, pelas 18h00, terá lugar a inauguração de uma exposição subordinada ao tema do festival.

Feira quinhentista, desfile histórico, música e animação de rua são os pontos fortes do festival

2000 figurantes participam no cortejo

Entre os dias 3 e 5 de maio, decorrerá igualmente a feira quinhentista, sendo que cada dia será subordinado a um tema: “A Partida”, “O Deslumbramento” e “O Ouro Branco”, respetivamente. Em cada um dos dias terão lugar várias recriações históricas e muita animação, com atuações de teatro, dança e música.

Na abertura do evento, destaque para o tradicional cortejo, constituído por alunos, professores e comunidade escolar, em articulação com o movimento associativo e os grupos de recriação histórica. “Com mais de 2000 figurantes, esta iniciativa marca a partida para a aventura e envolve os participantes e os visitantes numa viagem de regresso a um dos períodos áureos da nossa história e a chegada dos navegadores e das suas comitivas que, em tempos, percorriam as ruas da cidade histórica de Lagos, representando a sociedade da época trajados à moda do século XV”, realça a organização.

O evento contará igualmente com outros polos de animação, nomeadamente a caravela Boa Esperança, o forte Ponta da Bandeira ou o Centro Ciência Viva de Lagos, onde o visitante terá a oportunidade de participar em experiências ligadas a este período histórico dos descobrimentos.

pub

 

 

 

pub

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste