ALGARVE

Lagos: 300 cidadãos querem impedir projetos na Ponta da Piedade

Um grupo de que representa mais de 300 cidadãos de Lagos vai entregar na manhã de quinta-feira na Câmara de Lagos um pedido para a autarquia providencie no sentido de impedir o desenvolvimento de projetos de construção privados junto às falésias da Ponta da Piedade e que realize uma consulta pública.

Às 11:00 de quinta-feira, na Câmara Municipal de Lagos, o ativista e autor do pedido, Jonathan Silva, vai entregar, juntamente com outros cidadãos, uma carta aberta assinada por mais de 300 cidadãos de relevância da cidade, enuncia o movimento.

“Os signatários incluem advogados, empresários, investidores, professores dos ciclos e professores universitários, dentistas, psicólogos, sociólogos, arquitetos, investigadores, engenheiros ambientais, engenheiros agrónomos, membros reformados da Câmara Municipal, bem como celebridades como o cantor Dino D’Santiago que afirma: ‘Um Algarve de todos Nós merece a conservação da nossa riqueza Natural’”, afirma-se no comunicado.

A campanha para proteger as falésias da Ponta de Piedade apresenta três exigências: acesso seguro às falésias através da remoção das vedações; retirada de quaisquer planos de desenvolvimento atuais para as falésias, ou licenças de construção; uma consulta pública para que a comunidade possa decidir com o município o que deve acontecer com a área.

“A comunidade deve ter o direito de votar em diferentes propostas de projetos sobre a melhor forma de utilizar ou desenvolver a área”, explicitam os subscritores.

Jonhatan Silva afirma-se membro do grupo cívico Movimento Democracia na Europa 2025 (em inglês Democracy in Europe Movement 2025, abreviado DiEM25), movimento político pan-europeu lançado em 2016 por Yanis Varoufakis, antigo ministro das Finanças da Grécia.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste