Lagos acolheu milhares de gulosos na feira arte doce

“O Centenário da República” foi o tema comemorado na XXIV Feira Concurso Arte Doce, que decorreu este fim-de-semana em Lagos, e que levou milhares de visitantes ao Complexo Desportivo Municipal local onde, este ano, teve lugar o evento.

A já tradicional Feira, que assinalou a sua 24ª edição, encerrou domingo mais uma vez com chave de ouro.
O certame deste ano contou com um acréscimo de expositores participantes, sendo que para além da presença de 24 doceiras, estiveram igualmente 35 expositores de artesanato, do mais tradicional ao mais inovador, abarcando todas as gerações.

A Feira contou, também, com a presença de algumas empresas do concelho e diversas associações locais, nomeadamente da área cultural e social, que têm sido uma presença habitual neste evento, dando assim visibilidade ao trabalho de voluntariado e de serviço à comunidade que praticam ao longo de todo o ano, para benefício dos seus associados e da população em geral.

No que diz respeito ao Concurso desde sempre associado à Arte Doce, a doceira Lucília Baptista foi a grande vencedora deste ano, arrebatando 5 prémios (Grande Prémio, 2º lugar Tema Livre e 1º lugar Tema Obrigatório no Concurso Arte Doce; Prémio Escolha do Público no Tema Obrigatório e Melhor Doce Fino).

Ainda em relação ao tema deste ano “O Centenário da República” também foi explorado numa vertente que trouxe as artes plásticas e os artistas plásticos de Lagos ao mundo dos doces e das doceiras, com verdadeiras e gulosas obras de arte.

No Pavilhão encontravam-se quatro trabalhos resultado dessa parceria entre doceiras e artistas plásticos. As duplas que se quiseram associar a esta iniciativa foram: Júlia Jacinto + Ricardo Milne; Rosa Vandenbroucke + Ana Rita Correia; Dina Espírito Santo + Katya Wrona e Gracinda Baptista + Henrique Pereira. Para quem não teve oportunidade de as conhecer este fim-de-semana, as peças estarão em exposição no átrio do Edifício Paços do Concelho Séc. XXI.

No decorrer do evento, a vice-presidente da Câmara de Lagos, Joaquina Matos, aproveitou para deixar o reconhecimento da autarquia às doceiras e artesãos de Lagos que “têm mantido este evento, ao longo dos anos, no calendário de animação de Lagos e do Algarve”. Recordou ainda que “a tradição é, também, património, e como tal deverá ser sempre estimado. É preciso mantermos a identidade da nossa região,
e este evento serve para mostrar a todos os que nos visitam o que durante muitas gerações foi, e ainda hoje é, uma arte…doce”.

Advertisements

pub

 

Advertisements
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste