ALGARVE ÚLTIMAS

Lagos perpetua memória de António Guerreiro Tello

.

O médico António Guerreiro Tello (1895-1980) foi recentemente homenageado em Lagos, com a inauguração de um busto evocativo ao lado da junta de freguesia de São Gonçalo de Lagos.

A iniciativa desta homenagem foi da câmara municipal e da referida junta de freguesia, em resposta aos reiterados pedidos apresentados por cidadãos que de mais perto trabalharam e conviveram com o médico-cirurgião lacobrigense.

“A expressiva adesão ao evento veio apenas demonstrar e comprovar o que sempre se disse sobre esta figura lacobrigense, nomeadamente sobre as suas qualidades profissionais e humanas que mereceram a consideração, reconhecimento, estima e amizade da classe médica, dos colaboradores, dos pacientes e da comunidade em geral”, salienta a autarquia.

Paulo Morgado, presidente da ARS Algarve da assembleia municipal de Lagos, médico de profissão, recordou a faceta profissional do homenageado, contextualizando a ação do mesmo no período histórico de um Portugal assolado por uma grande epidemia – a pneumónica – que matou cerca de 40 milhões de pessoas (mais do que as vítimas mortais da 1ª Guerra Mundial) e ficaria conhecida, no nosso país, como a “gripe espanhola”.

Segundo Paulo Morgado, Lagos não escapou aos efeitos desta pandemia – que hoje se sabe ter sido uma Gripe A – e no combate à mesma destacou-se o médico António Guerreiro Tello, que ainda antes de acabar o curso de medicina, veio para Lagos para socorrer a população.

“Um herói local”

As virtudes do falecido médico lacobrigense foram igualmente evocadas pela presidente do município, Maria Joaquina Matos, que, inspirada nas palavras do grande poeta Luis Vaz de Camões, considerou António Guerreiro Tello um herói local, ou seja, aquele que “por obras valerosas se vai da lei da morte libertando”, permanecendo na memória não só daqueles que o conheceram, como das gerações seguintes.

A cerimónia de homenagem concluiu-se com o descerrar do busto do médico, peça da autoria do artista Tolentino Abegoaria, num momento testemunhado pelos muitos lacobrigenses presentes neste evento.

Refira-se que a Câmara de Lagos, em maio de 1970, deliberou atribuir o nome do médico António Guerreiro Tello a um arruamento. Este facto é de realçar pelo motivo de não se conhecer – até àquela data – outra personalidade que tenha tido o seu nome numa rua ainda em vida. Essa circunstância só viria a repetir-se, décadas mais tarde, com uma outra individualidade lacobrigense – José Reis Júnior – também médico de profissão, que teve igualmente honras de homenagem na toponímia de Lagos ainda em vida.

JA

Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: