ALGARVE ÚLTIMAS

Lagos promove obras de conservação dos edifícios históricos

Tendo em conta toda a carga histórica e o programa estratégico “Lagos dos Descobrimentos”, o município de Lagos acaba de aprovar algumas obras de conservação e requalificação de algum património da cidade, designadamente, da Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1º de Maio, do troço da muralha adjacente à Casa Fogaça e do edifício do Mercado de Escravos, num valor superior a 21 mil euros.

No que diz respeito ao Mercado de Escravos, está prevista a elaboração de um projeto de “Requalificação do Edifício do Mercado dos Escravos”, cujo preço base foi fixado em 10 mil euros. A requalificação deste edifício (ao nível de interiores) insere-se no âmbito do projeto “Lagos dos Descobrimentos – Memorial do Escravo”, que será candidatado à RUCI – Redes Urbanas para a Competitividade e a Inovação, que se insere no Programa Operacional Regional do Algarve – Algarve 21.

Segundo a autarquia, este projeto tem como objetivos fundamentais “a requalificação do património arquitetónico lacobrigense (Mercado de Escravos); a dinamização da vida cultural lacobrigense (exposições, palestras, concertos e outras atividades de divulgação); a investigação e divulgação da história multicultural portuguesa (os Descobrimentos, a globalização, o tráfico de escravos, a história urbana, a arqueologia medieval); estabelecimento de redes de cooperação nacionais (com universidades e centros de investigação) e internacionais (com a UNESCO e com outras cidades ligadas à Rota do Escravo)”.

No que diz respeito ao edifício do Mercado de Escravos, cujo rés-do-chão alberga desde novembro de 2010 uma exposição temporária sobre a “Rota do Escravo”, está agora prevista uma requalificação que abrangerá o 1º piso do edifício. Será instalada no edifício uma exposição permanente, que configurará um centro de interpretação da “Rota do Escravo”.

No âmbito deste projeto está ainda prevista a instalação do Memorial do Poço do Negros. No local do antigo cemitério de escravos, no Vale da Gafaria, e onde hoje se localiza o parque de estacionamento do Anel Verde, será instalado um memorial de caráter museológico, com base numa reconstituição minuciosa do “poço dos negros” desvendado pelas escavações arqueológicas que ali ocorreram.

Outra das ações previstas desenvolver neste projeto é a implementação do Centro de Estudos da Escravatura, sob o patrocínio da UNESCO, no edifício da Janela Manuelina, propriedade do município de Lagos. Este organismo desenvolverá atividades de investigação e de divulgação relacionadas com a temática do tráfico de escravos.

Refira-se que todas estas intervenções estão previstas concretizar-se num espaço temporal que irá desde o final deste ano (projetos de execução de obras e conteúdos) até 2013.

No que diz respeito às restantes obras de conservação de manutenção e conservação acima descritas, a câmara de Lagos adianta que houve necessidade de executar os trabalhos de reparação das instalações sanitárias existentes no edifício municipal, onde se encontra sediada a Sociedade Filarmónica Lacobrigense 1º de Maio (cujo valor da adjudicação da obra é de 3.426 euros.

Foi igualmente verificada a necessidade de elaborar um projeto de estabilidade para o troço de muralha adjacente à Casa Fogaça (edifício do Centro Ciência Viva de Lagos), e cujo valor de adjudicação está já calculado em 7.800 euros, com um prazo de execução de 45 dias.

JA
PUB
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste