Lagos quer estabilizar dunas ao longo de 5 quilómetros

A Câmara de Lagos pretende minimizar os efeitos da erosão costeira na Meia Praia provocados pelo mar, pelo vento fortíssimo e pela passagem das pessoas.

Nesse sentido, foi ratificada recentemente pelo executivo lacobrigense a assinatura de um contrato interadministrativo, a celebrar entre o município e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), que tem como objetivo a realização de ações de reabilitação e recuperação do cordão dunar da Meia Praia.

“Esta decisão tem na sua base a constatação do estado de degradação do importante cordão dunar de cinco quilómetros de extensão, compreendido entre o sapal da ria de Alvor e a ribeira de Bensafrim, situação provocada não só pelo efeito das condições meteorológicas e naturais, mas também pela ação humana”, refere a autarquia.

Realçando o valor que este troço da costa representa em termos paisagísticos para o concelho, mas também como barreira à progressão do mar, o município estabeleceu como “prioritária” a prevenção e a gestão de riscos costeiros associados à instabilidade das dunas e promoveu, nesse âmbito, a elaboração do anteprojeto para a Reabilitação e Recuperação do Cordão Dunar da Meia Praia.

A oportunidade de concretizar esta intervenção surge agora com a possibilidade de o município apresentar uma candidatura a fundos europeus.

pub

 

 

 

Tamanho da Fonte
Contraste