CULTURA ÚLTIMAS

Lagos revisita o mito do sebastianismo

[mobileonly] [/mobileonly]

A inauguração das primeiras exposições no Centro Cultural de Lagos está marcada para o próximo dia 26 de janeiro, pelas 17h00. Sam Abercromby e João Vilhena serão os primeiros artistas a apresentar as suas obras este ano.

“Sebastianismo Revisitado”, de Sam Abercromby, é uma exposição de pintura que inaugurará no âmbito das comemorações da elevação de Lagos a cidade, e que retrata uma das figuras históricas com grande relação com o município, entre eles, um dos momentos mais marcante, a elevação de Lagos a cidade em 27 de janeiro de 1573.

Sam Abercromby tem 71 anos e é australiano. Veio para Portugal em 1986 e há 22 anos que mora em Vila do Paço, onde tem o seu ateliê. Na série da obra sobre D. Sebastião, o artista renegoceia o mito e a vida de Sebastião de Portugal. Desde que começou a ler e a pesquisar sobre D. Sebastião ficou fascinado e entristecido com a história dele. Reserva o direito, como artista, de levar o mito e as histórias oficiais aceites e “reinvestir”, dando-lhes interpretações criativas, subjetivas, líricas e heroicas.

Nesse mesmo dia, inaugura a exposição de fotografia “O Amor Mata”, de João Vilhena. Esta exposição resulta de uma investigação que o fotógrafo iniciou há cerca de oito anos sobre a violência doméstica e que tem incidido, sobretudo, na recolha de inúmeras notícias com este flagelo social.

A esta abordagem humanista, acrescenta João Vilhena a sua sensibilidade artística e a sua capacidade de representar, numa experiência também ela violenta, uma situação à qual estão sujeitas (demasiadas) mulheres portuguesas.

As exposições estarão patentes ao público até 6 de abril.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste