A linha ferroviária Lagos-Vila Real de Santo António está a perder passageiros desde 2010
ALGARVE

Lançado concurso para eletrificação da Linha do Algarve de Faro a VRSA

A empreitada de eletrificação da Linha ferroviária do Algarve no troço entre Faro e Vila Real de Santo António já está em fase de concurso, devendo a obra ficar concluída no final de 2023, anunciou a Infraestruturas de Portugal (IP).

Em comunicado, a empresa que gere a linha ferroviária portuguesa adianta que a obra de eletrificação dos 56 quilómetros da linha que separam Faro e Vila Real de Santo António, cujo concurso foi lançado na sexta-feira, tem um prazo de execução de 23 meses, devendo estar “concluída no final de 2023”.

O projeto de eletrificação da Linha do Algarve vai permitir uma “melhoria do conforto e segurança na circulação” quer no troço de Faro a Vila Real de Santo António, cuja empreitada foi agora lançada a concurso, quer no de Tunes a Lagos, que será lançado “posteriormente”, também com um valor estimado de 23 milhões de euros, esclareceu a IP.

O projeto de eletrificação da Linha do Algarve inclui a realização de empreitadas em ambos os troços e permitirá “assegurar que todo o trajeto” seja “realizado com recurso a material circulante elétrico, resultando daí vantagens ambientais” e de “melhoria de qualidade do material circulante”.

Vai também “melhorar a mobilidade no arco metropolitano do Algarve” e “potenciar o sistema ferroviário com condições de operação que sejam independentes do consumo de combustíveis fósseis”, acrescentou.

Segundo a IP, entre os trabalhos previstos no procedimento agora lançado estão a construção “da nova Zona Neutra de Loulé” e a “construção em todo o troço de uma nova infraestrutura de suporte aos sistemas de sinalização e telecomunicações”.

Está ainda previsto o “rebaixamento da via”, o “alteamento de encontros de tabuleiros”, assim como a “estabilização de taludes”, as intervenções em “sistemas de drenagens” ou em “edifícios das estações e apeadeiros”.

“A eletrificação da Linha do Algarve compreende um investimento global de 65 milhões de euros, comparticipado pela União Europeia”, sublinhou ainda a IP, precisando que estão incluídos neste valor os estudos e projetos e a execução das empreitadas de eletrificação, mas também outros projetos.

Entre esses projetos estão, elencou, “a construção de uma subestação de tração elétrica em Olhão, a ampliação da subestação de tração elétrica de Tunes, a execução de empreitadas em ambos os troços para “remodelação do sistema de energia das salas técnicas e reformulação de passagens de nível”.

“A presente ação integrará a candidatura a submeter no âmbito do COMPETE 2020, com a designação Empreitada de Eletrificação da Linha do Algarve no troço Faro/Vila Real de Santo António, referente à qual se prevê um financiamento comunitário de cerca de 85%”, conclui a IP.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste