CULTURA

Livro da algarvia Lídia Jorge inspira peça que estreia em Lisboa

Lídia Jorge
Lídia Jorge

Uma frase roubada de um livro da premiada escritora Lídia Jorge dá título ao espetáculo “Não, não iria haver luar”, da atriz e encenadora Sara Carinhas, a representar hoje, terça-feira, no Teatro Municipal S. Luiz, em Lisboa.

“Não, não iria haver luar” é a terceira de cinco sessões que compõem o segundo ciclo de leituras encenadas do teatro de lisboa, intitulado “Um quarto que seja delas”, numa evocação do ensaio da escritora britânica Virginia Woolf. O ciclo começou em setembro último e realiza-se na sala Bernardo Sassetti.

Com encenação e dramaturgia de Sara Carinhas, este ciclo dá continuidade ao que iniciara, em 2016, no antigo Jardim de Inverno do teatro, e durante o qual foram apresentados excertos de obras de Herberto Helder, José Tolentino Mendonça, Luísa Costa Gomes, Maria Velho da Costa e Matilde Campilho.

A frase que dá título à leitura de terça-feira vem do romance “A costa dos murmúrios”, que a escritora galardoada, em agosto passado, com o Prémio de Literatura em Línguas Românicas da Feira Internacional do Livro de Guadalajara, publicara em 1988.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste