MODALIDADES

Loulé Open: Pedro Araújo nos quartos de final de singulares

Loulé Open: Pedro Araújo avança para os quartos de final
Pedro Araújo
O tenista de 19 anos, voltou a vencer e qualificou-se para os quartos de final de singulares do Loulé Open, igualando o melhor resultado da carreira.

Pedro Araújo avança para os quartos de final de singulares do Loulé Open, um dia depois de se estrear com uma reviravolta,  igualando neste torneio internacional de 25.000 dólares o melhor resultado da carreira. >Mais tarde, o ténista lisboaeta, também avançou nos pares e garantiu a presença nas meias-finais, tal como os compatriotas Francisco Cabral e Gonçalo Falcão — todos com parceiros diferentes.

Se na quarta-feira deixou pelo caminho o alemão Sebastian Fanselow (419.º ATP), esta quinta-feira Pedro Araújo — que ocupa a 798.ª posição na hierarquia mundial masculina — deu a volta ao francês Laurent Lokoli (atual 522.º e ex-207.º) para vencer pelos parciais de 2-6, 7-5 e 6-1, num encontro em que precisou de salvar um match point na segunda partida.

A vitória, rubricada em 2h25, apurou o tenista de Lisboa para os quartos de final de singulares de um torneio internacional pela terceira vez na carreira e curiosamente sempre no concelho de Loulé (Vale do Lobo 2020 e 2021 e Loulé 2021).

Para ir um passo mais longe e marcar presença nas primeiras meias-finais, Pedro Araújo terá de passar por um adversário que esta quinta-feira viveu uma situação semelhante: Arthur Cazaux, finalista do Australian Open de juniores em 2020 e atual número 342 mundial. O francês esteve a perder por 6-0 e 5-2 e enfrentou um match point no tie-break, mas conseguiu dar a volta ao marroquino Elliot Benchetrit e triunfar por 0-6, 7-6(7) e 6-0 para alcançar a nona vitória consecutiva em Portugal (vem do título em Setúbal).

Para trás ficaram Luís Faria e Francisco Cabral. O jovem vimaranense (777.º ATP) perdeu por 6-3 e 6-4 para o japonês Kaichi Uchida (369.º e terceiro cabeça de série), que elevou o nível em relação à véspera, enquanto o portuense desistiu devido a problemas no cotovelo direito quando perdia por 6-1 e 1-0 para Rickey Hijikata, australiano que ocupa o 468.º lugar do ranking e jogou a final em Setúbal no domingo.

Apesar das dores, Francisco Cabral conseguiu regressar ao court e vencer ao lado de Corentin Denolly. O português e o francês — primeiros cabeças de série — perderam o primeiro set para Raphael Calzi e Amaury Raynel, mas deram a volta ao marcador e carimbaram o triunfo por 1-6, 6-2 e 10-6.

Com este resultado, Cabral colocou-se a um passo de atingir uma impressionante quinta final consecutiva na variante (foi campeão do ITF de 25.000 dólares de Sintra com Sebastian Fanselow, campeão do Challenger de Braga com Nuno Borges e vice-campeão dos Challengers de Lisboa e Barcelona também com o maiato). Para isso, terá de superar um compatriota, dado que Gonçalo Falcão e o esloveno Tomas Lipovsek Puches confirmaram o estatuto de quartos pré-designados e derrotaram Luís Faria e Jaime Faria por 6-0 e 6-4.

Na metade inferior do quadro, a representação portuguesa continua assegurada por Pedro Araújo. Depois de começar o dia a vencer em singulares, o campeão nacional de sub 18 de 2020 terminou com a mesma sensação ao ser novamente bem sucedido, desta vez ao lado de Kaichi Uchida, e graças aos parciais de 6-1 e 7-5 sobre os espanhóis Alberto Barroso Campos e Roberto Ortega-Olmedo, segundos favoritos. Araújo e Uchida vão lutar por um lugar na final com Hijikata e Mick Veldheer.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste