POLÍTICA

Luís Encarnação quer repetir maioria absoluta para PS em Lagoa

PRESIDENTE-CÂMARA-LAGOA-LUÍS-ENCARNAÇÃO-4
Luís Encarnação

O candidato do PS à Câmara de Lagoa, Luís Encarnação, disse que quer repetir as duas maiorias absolutas alcançadas pelo partido no município para continuar na presidência da autarquia e completar o trabalho iniciado em 2013.

“Estamos preparados para todos os cenários, mas obviamente que aquilo que procuramos, para dar maior consistência e, de alguma forma, reforçar as nossa propostas e trabalho, é manter a maioria absoluta que os lagoenses nos deram nos dois últimos mandatos”, afirmou o candidato do PS à Lusa, antes de participar na cerimónia de apresentação da sua candidatura.

Luís Encarnação, de 52 anos, ascendeu à presidência da Câmara algarvia em 2019, depois da renúncia inesperada por motivos de saúde do então presidente, Francisco Martins, e disse ter aceitado o “convite” do PS para liderar a candidatura para prosseguir o projeto que o partido propôs aos lagoenses em 2013, quando obteve a primeira de duas maiorias absolutas e destronou o PSD do município.

O candidato do PS à autarquia do distrito de Faro considerou que “esse trabalho ainda não está feito, passados oito anos”, e lembrou que, no último ano, a pandemia de covid-19 “obrigou a alterar os projetos e o rumo para focar a atenção e trabalho na contenção da pandemia e na proteção dos lagoenses”.

“É uma questão que ainda se vai manter nos próximos tempos, porque está longe de estar resolvida e, no imediato, há que dar prioridade à pandemia, mas temos também como objetivo continuar o trabalho que temos vindo a desenvolver ao longo destes dois mandatos e continuar este projeto que assumimos com os lagoenses em 2013”, sustentou.

Licenciado em gestão de recursos humanos e com um mestrado em gestão empresarial, o candidato socialista definiu como principais objetivos desse trabalho “tornar Lagoa um concelho cada vez melhor para se viver, para se estudar, para se visitar ou para trabalhar”, com a preocupação de “cuidar do espaço público” e “apostar em políticas que continuem a reforçar Lagoa como um exemplo ao nível do apoio que na educação, no desporto, na cultura e na ação social”.

Questionado sobre se o objetivo em termos eleitorais é conquistar a terceira maioria absoluta consecutiva para o PS em Lagoa, Luís Encarnação respondeu que “naturalmente o objetivo passa por aí”.

“Aquilo que pretendemos é criar condições para que se possa governar e aplicar as nossas propostas e projetos, para dar continuidade ao trabalho que temos vindo a desenvolver, sem aqueles entraves que possam vir a ser colocados por não dispormos de uma maioria”, acrescentou, assegurando contudo que está “preparado para todos os cenários”.

O candidato socialista realçou que as maiorias absolutas alcançadas em 2013 e 2017 “não impediram que se conversasse e se tivesse o maior respeito pelas forças políticas da oposição, tanto na Câmara como na Assembleia Municipal”, permitindo até que “fossem incorporadas propostas” de outros partidos, mas reconheceu que, para “reforçar” o trabalho já realizado, o ideal “é manter a maioria absoluta que os lagoenses nos deram nos dois últimos mandatos”.

Nas últimas eleições autárquicas, em 2017, o PS obteve 61% dos votos e ficou com cinco dos sete eleitos, contra dois do PSD, que vai apresentar como cabeça de lista à Câmara de Lagoa o vereador Mário Vieira.

Na corrida ao município está também Francisco Martins, ex-presidente da autarquia eleito pelo PS que renunciou ao cargo por motivos de saúde em 2019, agora como candidato do movimento independente Lagoa Primeiro.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste