Meio milhão de visitantes nos monumentos afetos à Direção Regional de Cultura

O conjunto dos monumentos afetos à Direção Regional de Cultura do Algarve, com estruturas de acolhimento (Fortaleza de Sagres, Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe, Monumentos Megalíticos de Alcalar e Ruínas Romanas de Milreu), apresentam o maior número de visitantes desde que existem registos, aproximando-se, no seu conjunto, às 500 mil visitas no final de 2018.

Desde o início deste ano, e até novembro, foram registadas 473.340 visitas quando em todo o ano passado tinham sido registadas 427.972. Estes números correspondem a um aumento global de 10,60%.

“A afluência de visitantes nos diferentes monumentos não é simétrica, quando comparada com o ano anterior. Em alguns imóveis a tendência verificada foi de ligeira redução em relação aos valores do ano passado, mas mais uma vez foi na Fortaleza de Sagres que se verificou o crescimento mais expressivo, contribuindo para os valores globais alcançados”, explica a Direção Regional de Cultura do Algarve.

A nível global, e à semelhança dos anos anteriores, são os estrangeiros quem mais afluem, numa percentagem 85,36% contra 14,64% de nacionais. “Esta tendência foi contrariada nos Monumentos Megalíticos de Alcalar, onde o número de nacionais foi mais equilibrado face aos estrangeiros, representando 45,46% das entradas”.

Estes imóveis têm vindo a ser dinamizados através do programa DiVaM, com várias atividades de caráter multidisciplinar, que têm permitido aos visitantes e comunidades locais a fruição desses espaços com incremento de oferta cultural.

Além das ações regulares ou pontuais, estão em curso intervenções de manutenção e valorização com recurso a candidaturas a fundos comunitários e nacionais, nomeadamente ao ProgramaOperacional CRESC ALGARVE 2020, no caso da Fortaleza de Sagres, Monumentos Megalíticos de Alcalar e Ruínas Romanas de Milreu.

Existem também duas candidaturas à Linha de Apoio Turismo Acessível do Valorizar – Programa de Apoio à Valorização e Qualificação do Destino, do Turismo de Portugal, para melhorar as acessibilidades na Fortaleza de Sagres e na Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe, sendo que, no primeiro caso, a candidatura já se encontra aprovada.

O trabalho efetuado nestes monumentos ao longo dos anos tem sido reconhecido, nomeadamente a Fortaleza de Sagres com a atribuição da Marca Património Europeu em 2015 e, mais recentemente, o título honorífico de “Lugar Internacional de Cultura e Paz” atribuído pelo Observatório Internacional de Direitos Humanos.

“A Direção Regional de Cultura doAlgarve continuará o seu trabalho para a preservação e fruição de todos osmonumentos que lhe estão afetos, como forma de promover a identidade da Região e do País”, garante aquela direção regional.

Adiconar comentário

Carregue aqui para comentar

Comentar

>
Tamanho da Fonte
Contraste