Meninas jogam contra meninos pela primeira vez na região

A época 2018/2019 da Associação de Futebol do Algarve (AFA) fica marcada pela estreia de uma equipa de futebol feminina a participar num dos seus campeonatos. Trata-se do Clube Desportivo (CD) Marítimo Olhanense, que decidiu juntar Beatriz Ramos, Raquel Águas, Rafaela Rita, Lara Bravo, Mariana Inácio, Sara Inácio, Melissa Águas, Margarida Dias, Maria Eufrázio, Carolina Flora e Joana Santos para competir no campeonato de infantis de sub-12… contra equipas de rapazes!

Atualmente a disputar a série 4 da 2ª fase da competição, a equipa orientada por Ricardo Viegas e Hermínia Cruz soma apenas derrotas, algo que para os treinadores não é relevante. “Se entrássemos neste projeto a pensar nos resultados, acho que desistíamos logo à segunda jornada, quando perdíamos por 15 e por 20. Mas, pelo contrário, este projeto, nesta fase inicial, é muito mais do que isso, é uma aposta pura na formação, tanto desportiva quanto pessoal”, afirma Ricardo Viegas, que acrescenta: “Podemos não estar, para já, a alcançar resultados positivos, mas somos uma equipa, na verdadeira essência da palavra, e isso é o mais importante”.

Os treinos tiveram início em novembro e, desde então, a evolução das jovens atletas, segundo os treinadores, “já é bem notória”. “Muitas delas não sabiam dominar ou rematar uma bola e algumas nunca tinham tido sequer contacto com uma bola de futebol. Hoje em dia, adoram e já só querem é treinar”, refere Hermínia Cruz.

E os três treinos semanais têm surtido efeito: “Dá gosto ver que atualmente já não sofremos grandes goleadas, que já conseguimos marcar golos e inclusive estar em vantagem. Mas o que mais gosto dá é vê-las felizes quando acaba a partida. Independentemente do resultado, estão sempre alegres”, diz Ricardo Viegas.

Mais que um projeto desportivo, um projeto social

A oportunidade real para a formação da equipa feminina do CD Marítimo Olhanense surgiu quando o clube presidido por Fernanda Viegas recebeu uma chamada telefónica de uma instituição social local.

“Precisavam de colocar as miúdas a praticar desporto e algumas escolheram o futebol e o Marítimo”, relata o treinador.

Juntando as novas atletas àquelas que já estavam no clube a treinar com rapazes e acreditando no “passa-palavra” para acolher mais jovens desportistas, o clube considerou que tinha condições para reunir um grupo para o futebol de 7.

“Temos tido vários contactos de miúdas que querem pertencer à nossa equipa. Começámos com seis atletas e temos vindo a crescer”, afirma Hermínia Cruz, que refere que um dos objetivos do projeto, ao qual querem “dar continuidade”, passa por “tentar inseri-las na comunidade” e “através do futebol, mostrar-lhes um mundo melhor”.

“Sentimos que estamos a fazer algo produtivo, não só a nível desportivo mas também a nível social e isso dá-nos muito prazer”, conclui Ricardo Viegas.

Advertisements

pub

 

Advertisements
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste