Ministro das Obras Públicas considera projeto de Televisão Digital Terrestre um sucesso

O ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações disse hoje que o projeto da Televisão Digital Terrestre “pode ser considerado um caso de sucesso em Portugal” e está com um ano de avanço em relação aos objetivos iniciais.

“A 29 de abril de 2009 começaram as emissões digitais, hoje 83 por cento da população está coberta e, no final do ano, estará a 100 por cento”, disse o ministro António Mendonça, adiantando que o projeto está com um ano de avanço [a 26 de abril de 2012 a analógica será desligada].

António Mendonça foi hoje ouvido nas comissões parlamentares de Ética e de Comunicações no âmbito de um conjunto de audições realizadas sobre a revogação da licença dos canais pagos de Televisão Digital Terrestre pedida pela Portugal Telecom e o novo destino do espaço deixado livre

Para o ministro o projeto “pode ser considerado em Portugal como um caso de sucesso” defendendo assim que a introdução da TDT é importante para o país.

O titular da pasta das Comunicações disse ainda que introdução da TDT “é algo importante do ponto de vista económico e tecnológico e que tem de ser levado em frente independentemente das diretivas e das recomendações da União Europeia”.

“Não é apenas uma questão de moda é algo importante do ponto de vista técnico e tecnológico e vai criar melhores condições para a prestação do serviço e permitir uma melhor organização do espectro, tirando vantagens do ponto de vista económico”, disse.

No final da audição o PSD anunciou que vai entregar um requerimento a pedir informações que clarifiquem dúvidas hoje levantadas.

“O Governo garante que as sinergias estão garantidas e a PT alega que não há sinergias”, disse o deputado social-democrata António Leitão Amaro

No âmbito destas audições é ainda ouvido hoje o ministro dos Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão.

Na terça feira foram ouvidos pelos deputados das comissões o presidente do conselho de administração da Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom), José Amado da Silva, o presidente do Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), José Azeredo Lopes e o administrador da Portugal Telecom (PT) Alfredo Baptista.

GC/JRS

Lusa/JA

***Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico***

Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste