Ministro vem anunciar Lagoa dos Salgados como reserva natural

O governante considerou que a classificação daquela reserva – abrangida pelos concelhos de Albufeira e Silves – como área protegida de âmbito nacional “é um passo muito relevante na preservação da natureza, num país onde há muito a fazer em termos ambientais”.

“É um passo muito importante, porque há 21 anos que em Portugal não era classificada nenhuma área protegida de interesse nacional, um reconhecimento da relevância que a preservação deste território tem como contributo para o desenvolvimento do Algarve”, adiantou.

Segundo João Pedro Matos Fernandes, a Lagoa dos Salgados “é uma zona com inúmeros valores ambientais diferenciados nos seus 400 hectares, com muita biodiversidade e com a necessidade de restauro de parcelas de alguns ecossistemas”.

“É de facto um tampão de 400 hectares para a garantia da qualidade do ecossistema e, por isso mesmo, para a valorização de todo o território algarvio e do país”, sublinhou.

Questionado sobre a intenção de ali serem construídas cerca de 4.000 camas e eventuais direitos adquiridos pelos proprietários de terrenos integrados na proposta de classificação daquela reserva, o governante assegurou que “nunca foi licenciado para o local” nenhum projeto.

“Não tendo havido licenciamento, o nosso entendimento é que, obviamente, não há nenhum direito adquirido. Isso acaba por ser irrelevante, a classificação vem aí, está feita e uma vez concluída não haverá, certamente, cama alguma”, afirmou.

- Publicidade -

O governante admitiu que os proprietários “podem vir a contestar e reclamar o direito que sentem ter” durante o período da discussão pública, mas disse acreditar que a classificação irá mesmo avançar.

“A partir do momento que todas as entidades públicas, as organizações não governamentais e ambientais, estão de acordo e os estudos feitos apontam para a classificação da área protegida, são a certeza que ela vai ser mesmo uma área protegida”, concluiu.

A classificação da Lagoa dos Salgados é há muito reivindicada por várias organizações ambientais, sendo uma vasta área conhecida por Praia Grande, onde se inclui uma zona húmida – o Sapal/Foz da Ribeira de Alcantarilha -, a qual apresenta um grande interesse científico ao nível geológico e biológico pela quantidade e variedade de espécies de aves e pela sua riqueza em flora, o qual é fruto de um mosaico de habitats.

A proposta de classificação daquela reserva – abrangida pelos concelhos de Albufeira e Silves – como área protegida de âmbito nacional, entra em discussão pública esta quinta-feira e terá a duração de 30 dias.

O processo pode ser consultado a partir do portal do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), em https://www.icnf.pt/, e do portal Participa, em https://participa.pt/.

A consulta presencial dos documentos pode ser feita nos serviços centrais do ICNF, na Avenida da República, n.º 16, em Lisboa, e na Direção Regional da Conservação da Natureza e Florestas do Algarve, no Centro de Educação Ambiental de Marim, Quelfes, Olhão.

- Publicidade-spot_img

Deixe um comentário

- Publicidade-spot_imgspot_img

+ Populares

- Publicidade -spot_img
- Publicidade -santos-populares-portimao

Leia Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Tem uma Dica?

Contamos consigo para investigar e noticiar

Tamanho da Fonte
Contraste