Mulher de 37 anos morre após médico recusar transferência urgente para Lisboa

Uma mulher de 37 anos acabou por morrer no hospital de Faro após um médico do INEM ter resistido à sua transferência para Lisboa.

O caso remonta a abril de 2017, mas só agora o jornal online Observador vem dar a conhecer as chamadas efetuadas entre o médico e o CODU.

Nas chamadas, é possível escutar o médico António Peças, do helicóptero do INEM de Évora, a questionar repetidamente a urgência de um transporte solicitado pelo hospital de Faro.

A doente, que sofria de aneurisma, acabou por morrer, apesar de a médica do INEM que estava de serviço no CODU Lisboa, ter tentado convencer o médico a transportar com urgência a paciente do hospital de Faro para o hospital de Santa Cruz, em Carnaxide. “Eu não estou a discutir a hipótese”, respondeu António Peças, que acabaria por aceitar o serviço e voar para Faro, mas já não a tempo de o cumprir. A mulher, de 37 anos, não resistiu à ruptura de um aneurisma.

Os registos das chamadas, a que o Observador teve acesso, revelam ainda o desconforto de alguns médicos nas conversas com António Peças (sobretudo a médica do hospital de Faro, que cuidava da doente com o aneurisma) e alguns desabafos entre elementos do CODU: “Deve ser o Peças o médico do heli, não? Essa história é sempre igual. É reiterado. Eles tentam sempre não sair”.

Segundo o Observador, o médico foi, entretanto, afastado do INEM. A cessação do contrato já foi comunicada ao médico e tem a data do próximo dia 1 de fevereiro. A Ordem dos Médicos entregou o caso ao Conselho Disciplinar e o Ministério Público decidiu também abrir um inquérito para investigar as denúncias.

Advertisements
Tags

pub

 

Advertisements
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste