OPINIÃO

NETO GOMES

Cândido Glória e o reconhecimento de Portimão

 VOU ALI E JÁ VENHO

Cândido Glória e o reconhecimento de cidade de Portimão

 

Portimão e um mar de gente feito de homens e mulheres simples e de um vasto leque de personalidades que nos últimos 30 anos fizeram a história de Portimão e de muitos lugares do Algarve homenagearam Cândido Glória, uma das maiores figuras da cidade de Portimão, e que foi uma das grandes bandeiras da vida comercial, empresarial, social e humana do Concelho de Por-timão e do próprio Algarve.
Uma cerimónia que contou com a presença de Isilda Gomes, Governadora Civil do Distrito de Faro e de Manuel da Luz, Presidente da Câmara Municipal de Portimão, entre muitas outras personalidades, tais como Martin Gracia, antigo Presidente da Câmara de Portimão.
Nós próprios conhecemos bem Cândido Glória, um homem com um grande sentido de partilha, de entreajuda, de bondade e manifesta vocação para ajudar não apenas os mais necessitados, mas também, os que num começo de vida profissional ou negócio, sempre encontraram em Cândido Glória uma mão, um apoio, um conselho. Um homem preparado para ajudar e sempre pronto a perdoar…
Foi este homem bom, generoso e empreendedor, que acolheu à sua volta mais de três centenas de amigos, de todos os lugares da cidade e da sua vida empresarial, industrial, política, económica e social de Portimão, cuja abran-gência mostra bem o seu perfil de homem íntegro, de cidadão exemplar e de uma grande lealdade exemplar.
A Câmara de Portimão, que então já lhe tinha atribuído a medalha de ouro da Cidade, voltou a agora pelas mãos de Manuel da Luz, presidente da Autarquia, a conferir-lhe a medalha de ouro dos 150 anos de Manuel Teixeira Gomes. Momento, que o autarca portimo-nense aproveitou para recordar que uma vez, há muito tempo, pediu-lhe para que fizesse parte da sua lista, ao que Cândido Glória aceitou, mas na condição de ser o último da lista. Manuel da Luz, teve o cuidado de dizer: “que nas listas para as autarquias só dois lugares são importantes. O primeiro e o último, porque o último, ao contrário do que se pensa, é sempre, como neste caso a aconteceu, preenchido por uma figura notável, que não desejando ser eleito, transmite credibilidade, consenso, respeitabilidade e força eleitoral ao projecto. Cândido Glória representava tudo isso e foi tudo isso em toda a sua vida, tal como hoje ainda acontece.”
Cândido Glória foi durante toda a sua vida profissional um exemplo, tendo uma carreira notável, num tempo em que a vida do “caixeiro-viajante”, foi assim que começou, era feita num fraterno e humano porta a porta. E começou por fazê-             -lo de burro e de bicicleta, pal-milhando o longe que então era o concelho de Portimão e concelhos vizinhos, procurando desta forma, na venda dos mais simples produtos, cimentar conhecimentos, razões de credibilidade, consciência de responsabilidade e confiança, o que lhe permitiu também alcançar posição de relevo na moldura nacional das associa-ções empresariais.
Quando há muito anos, conseguiu ser o representante da Real Companhia Velha, o que para a época era a conquista de um estatuto, que não estava ao alcance de qualquer um, fomos nós os primeiros a entrevistá-lo e julgo que ficámos amigos a partir desse dia. Amizade construída à distância, na afirmação dos valores e da responsabilidade.
Mais tarde cruzámo-nos com Cândido Glória aquando da nossa segunda época co-mo Secretário Técnico do Por-timonense, onde era o Vice-                   -presidente do Clube. Foi com ele que dialogámos sobre a nossa saída, não por aborrecimento ou pelo nosso projecto estar inacabado, mas porque procurámos um novo projecto de vida profissional.
Cândido Glória, estabeleceu-se em 1962, tendo começado por abrir o primeiro supermercado em Portimão. Mais tarde, abriu o segundo Cash and Carry e 12 Supermercados, que no seu conjunto integrava 300 funcionários
Entre 1971 e 1974, foi vereador da Câmara Municipal de Portimão. Foi fundador e presidente da direcção da Uniarme (a maior central de compras do País), cuja central tem 24 anos de história e na qual, actualmente, Cândido Glória é presidente honorário. De 1980 a 1993 – Vice Presidente da Ceal.
Contudo, também foi notória e marcante a sua passagem por várias instituições despor-tivas e sociais, onde deixou sempre, tal como hoje acontece, uma marca de desenvolvimento, inovação, solidariedade e companheirismo.
Foi Vice-Presidente da Direcção, Vice-Presidente da Assembleia-Geral e Presidente da Assembleia-Geral do Portimonense Sporting Club. Foi Director dos Bombeiros Voluntários de Portimão, Vogal e depois Presidente da As-sembleia-Geral da Associação Comercial de Portimão.
Rotário há 38 anos no Club de Portimão, hoje sócio honorário. Vice-Presidente do Centro de Apoio a Idosos, cargo que ainda desempenha, e é Cidadão de Mérito da Cidade de Portimão.
Casado com Ilda, tem duas filhas: Dulce e Suzel, uma mão cheia de netos/as; Pedro, Sofia, que com a pronúncia do norte fez o discurso da família, Maria, Ana Rita e Marta e uma bisneta, Matilde.
Foi este homem, patriarca desta família, que Portimão reconhecidamente homenageou, cujo acto, foi também como que o despertar de uma sociedade que vive apertada pelas margens da indiferença.
 

Nota: O autor não escreveu o artigo ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.
PUB
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste