O futuro do Algarve é ser mais do que sol e praia

A sazonalidade abate-se todos os anos sobre a região entre os meses de outubro e maio. Será possível inverter este padrão de procura? (Foto: RTA)
A sazonalidade abate-se todos os anos sobre a região entre os meses de outubro e maio. Será possível inverter este padrão de procura? (Foto: RTA)

O turismo algarvio tem um grande desafio em 2017: mostrar que tem uma oferta diversificada ao longo de todo o ano. Os especialistas concordam que só o ‘sol e mar’ já não chega como produto isolado e, por isso, a região vai apostar fortemente no golfe, natureza, gastronomia, desporto e na indústria de eventos profissionais para começar a ganhar terreno à sazonalidade e aumentar o número de turistas na época baixa. Este ano, a região tem tudo para bater mais recordes

A sazonalidade é inerente ao turismo algarvio… de sol e praia! Por isso, a concentração de turistas apenas num período do ano só pode ser atenuada por uma oferta turística complementar e diversificada, que permita o afluxo de pessoas durante todo o ano.

É assim que pensam há muitos anos os especialistas e responsáveis pelo setor do turismo. Mas 2017 pode ser mesmo um ano de viragem para o Algarve, que no ano passado voltou a crescer em termos de hóspedes, dormidas e receitas…

(NOTÍCIA PUBLICADA NA ÍNTEGRA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JA – DIA 26 DE JANEIRO)

Nuno Couto | Jornal do Algarve

pub

 

 

 

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste