O juiz Neto de Moura tem costas largas

Eurico Gomes

Seria bom que entendêssemos que muito mais importante – sem o desvalorizar, claro – que o próprio juiz Neto de Moura será o facto de, se fosse necessário, ter ficado a nu o corporativismo dos que ascenderam e se aglutinaram no todo poderoso poder judicial. Há muito – diria mesmo que de muito longe – atendendo a que ainda alguns se lembram da forma incólume como a dita justiça “ultrapassou” o 25 de Abril onde nem sequer os juízes dos tribunais plenários foram minimamente ameaçados e/ou os julgamentos dos pides foram encenados. Muitos falaram e protestaram à época mas este poder persistiu até hoje praticamente igual. Naturalmente que desde esses tempos à boa maneira portuguesa todos conciliaram com a situação não fosse o diabo tecê-las… pois claro!
Ano após ano a incompetência da nossa justiça foi-se tornando patente muito em particular após o caso BPN que curiosamente continua “em suspenso” no que a uma verdadeira justiça diria respeito. Ano após ano, recurso após recurso , supremo após supremo, escritórios de advogados após escritórios de advogados… verdadeiros potentados… tudo se dilui no tempo… e, pior, na memória das gentes com a cumplicidade, salvo algumas excepções, de uma dita de comunicação social mais preocupada com um imediatismo primário “que não belisque os grandes interesses.
Por amor de Deus… Não se justifiquem com falta de meios técnicos ou mesmo humanos. Há sempre “meios” de a um nível hierárquico superior – estamos a falar de um órgão de soberania- “bater o pé” e, pelo menos, vir a público… Alguém se apercebeu disso?
Todos sabemos que numa perspectiva democrática os órgãos de soberania são ou deveriam ser independentes e… “à justiça o que é da justiça”, como tão conveniente vem sendo, tantas vezes, para os outros órgãos de soberania que daí lavam as mãos como Pilatos. E não só… todos os partidos.
Ora, e voltando ao conceito de democracia, quando um dos sustentáculos da dita democracia não justifica as suas funções e estatuto, é fundamental que os que defendem essa mesma democracia e dela entendem beneficiar se manifestem, denunciem e levem os partidos políticos a tomarem uma posição que vá para além deste juiz que toda a gente já percebeu que resultou de um qualquer curso de cristandade muito mais que de uma qualquer escola de direito.
Felizmente para todos creio que é isso que está acontecer… mas não chega.
Apelo aos partidos de esquerda que salvaguardando sempre os conceitos básicos da “democracia” não abdiquem nem temam assumirem-se e denunciar o que vai muito mal no que diz respeito à justiça sem se escudarem, como é habitual, no “isso é com a justiça… não me pronuncio”!!!
O prejuízo “democrático” pode ser muito grave!!!

Faro , 4/3/2019

Eurico Gomes

*Presidente da Direção e Diretor Clínico da A.E.D.M.A.D.A. IPSS Área da Saúde

Associação Diabéticos do Algarve – Clínica de Diabetes

Advertisements

pub

 

Advertisements
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste