“O passado passou seguem-se dias de paz e de muito trabalho”

“O passado passou. Conto com todos vós. Tenho uma excelente equipa. Agora
seguem-se dias de paz e chegou a altura de canalizar o nosso tempo e energia só
para trabalhar pela positiva e por Castro Marim.” – afirmou esta manhã
Francisco Amaral, durante a tomada de posse do executivo a que vai presidir,
depois das eleições intercalares do passado dia 2, que a Coligação Castro Marim
+ Humano venceu com maioria absoluta, elegendo, para além dele, Filomena Sintra
e Vítor Rosa. Tomaram posse, pelo partido socialista, Célia Brito e Vera
Martins.

Francisco Amaral, lembrou que nestes dois anos foi feita “a obra possível”
e considerou urgente “trabalhar só pela positiva” para concretizar as “obras
que Castro Marim carece há décadas”, como é o caso da necessidade de se levar água
potável a todas as casas do concelho; da renovação da
rede de água e saneamento básico na sede do concelho, “que tem mais de 60 anos
e todos os dias rompe”, assim como na rua principal de Altura; da requalificação do espaço onde se realizam os mercados mensais de
Castro Marim; da necessidade de se realizar uma conveniente limpeza urbana com
recursos humanos e equipamentos suficientes, assim como a realização de uma
eficaz recolha de resíduos sólidos; do equipamento necessário, assim
como aos recursos humanos para se terem os caminhos agrícolas sempre em bom
estado de conservação; da necessidade de haver rede de
telemóvel e internet em todas as zonas do concelho; da necessidade
de uma praia fluvial e centro de atividades náuticas na barragem de Odeleite, “que
será também um fator importante na luta contra a desertificação; da
requalificação do espaço onde se realiza o 1º de Maio e outros eventos junto à
Ribeira de Odeleite; da necessidade de se criar um passadiço a ligar Altura à
Manta Rota; de um parque empresarial; de mais habitação social e loteamentos
sociais para autoconstrução; de uma rede de ciclovias a ligar Castro Marim e
Vila Real, à Altura, à Junqueira, passando pelo Monte Francisco; da requalificação
da envolvente do cais da Foz de Odeleite, “cujo projeto está feito e procuramos
financiamento” e à criação de condições para instalação da 1ª unidade hoteleira
na vila de Castro Marim, que poderá ser licenciada dentro de poucos dias.

O agora
reeleito presidente da edilidade castro-marinense, sublinhou a vontade de
recuperar rapidamente o tempo perdido, tentando conseguir, ainda, fundos
comunitários que as financiem, pois muitas destas obras, “não fora os
constantes entraves, já deveriam estar muito avançadas”.

E num recado
à Assembleia Municipal, presidida pelo socialista José Luís Domingos, disse esperar
que, agora, que tem uma confortável maioria e em “clima de paz” a Assembleia
Municipal saiba interpretar a mensagem dos eleitores e “colaborar neste clima
de apaziguamento e concórdia, que trará melhores condições de vida e mais
desenvolvimento a Castro Marim”.

“É importante o respeito pela
diferença, pelas opiniões e ideologias alheias., o diálogo e as tentativas de
procurar consensos o mais alargados possíveis, mas a decisão deve ser tomada
por aqueles que o povo legitimou para o efeito”. Pelo que se pode perceber do
discurso do Presidente da Assembleia Municipal, esta convivência democrática
estará assegurada, no quando do respeito institucional e das competências deste
órgão.

Francisco Amaral destacou ainda, a
importância das parcerias com as IPSS, a Associação Social de Odeleite, a
ABESFA no Azinhal, a Misericórdia em Castro Marim e Cegonha Branca em Altura
para se promover uma cada vez melhor ação social, considerando urgente a
ampliação do Lar de Castro Marim e de se avançar com o Lar de Alzheimer, assim
como colocar a funcionar o quase terminado Lar de Altura. Referindo, no âmbito
desportivo, a importância das parceriascom a União Desportiva Castromarinense e
o Alturense, que são aqueles que mais desportistas mobilizam atualmente.

Na área cultural, salientou a
recente associação “Narrativa Secular”, assim como o recente grupo de teatro do
CCD do Município de Castro Marim, atividades da sociedade civil organizada que “contarão
com o apoio do Município dentro das suas possibilidades.”

A colaboração com as Juntas de
Freguesia, assim como a descentralização de competências, será também, segundo
Francisco Amaral, outro objetivo a concretizar que, concluiu, assegurando que “os
funcionários municipais são uma mais-valia importante do município e devem ser
acarinhados e motivados para um serviço de mais qualidade a prestar ao cidadão”
e que “as áreas da educação, saúde e ação social continuarão a ter um carinho
muito especial por parte do município, pois são os pilares de uma sociedade
moderna, evoluída e solidária.”

Francisco Amaral venceu com 828
votos de diferença a lista encabeçada pela socialista Célia Brito.

pub

 

 

 

pub

WP2FB Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste