“O poder, isolado do povo, não é boa coisa”

.
.

A visita, esta quinta-feira, pela manhã, à Cidade Proibida, o antigo conjunto de palácios onde residia o imperador da China em Pequim, deixou Cavaco Silva bem-disposto, que não se cansou de fazer comentários com leituras de duplo sentido.

Foi o seu primeiro momento na capital chinesa, depois da chegada, quarta-feira à, vindo de Xangai, e antes do encontro com o seu homólogo, Xi Jinping, que terá lugar à tarde.

“O poder, isolado do povo, não é boa coisa”, afirmou o Presidente, quando perguntado pela “lição” que tinha tirado deste périplo turístico. “E ainda por cima estando o imperador fechado com 55 mulheres, teria dificuldades em resistir”.

Para Cavaco, “hoje, o poder – e bem – tem de estar no meio do povo. As coisas são diferentes… E por isso é que já não há imperadores” concluiu. “A Cidade Proibida sugere que o poder está isolado, fechado”.

E se nas democracias atuais o povo sente que o poder também está distante, Cavaco Silva sugeriu: “É melhor convidar o povo a visitar a Cidade Proibida”.

Já antes, foi também um Cavaco Silva bem-humorado – que seguia atentamente as explicações que a guia turística lhe ia fazendo ao longo do percurso – que não se coibiu de chamar o ministro dos Negócios Estrangeiros e os deputados dos partidos que o acompanham para uma fotografia, tendo por fundo o palácio dito da Paz Suprema: “É aqui que é importante tirar a foto”, disse-lhes. E todos tiraram.

E não resistiu a dar a nota, quando a guia lhe explicou o complicado cerimonial de acesso ao supremo líder chinês de antigamente. “Mas não havia a categoria de ministros do Imperador?” perguntou. Quando lhe responderam que eram apenas dez, comentou: “Que sorte!”.

Hoje à tarde começará o programa “a sério” em Pequim, onde se realizarão os encontros políticos com as autoridades chinesas. Às 17h (hora local, mais sete do que em Lisboa) está marcada a reunião com o Presidente chinês.

Sexta-feira-feira à tarde será a vez dos encontros com o primeiro-ministro, Li Keqiang, e o presidente do Congresso Nacional do Povo, Zhang Deijiang.

Pela manhã, Cavaco Silva encontrar-se-á com o novo presidente da empresa China Three Gorges, que detém a maioria do capital da EDP, e terá ainda um pequeno-almoço com responsáveis de empresas estatais chinesas e outras que têm investimentos em Portugal, e encerrará o seminário económico que se realizará também da parte da manhã.

Estq quinta-feira, enquanto Cavaco Silva visitava a Cidade Proibida tinha lugar uma reunião da comissão mista Portugal-China, cuja delegação portuguesa é chefiada pelo vice-primeiro-ministro Paulo Portas, que nesta etapa da viagem se juntou ao Presidente. A delegação integra ainda o ministro da Economia Pires de Lima e o presidente da AICEP, Miguel Frasquilho.

RE

ncouto

ncouto

Jornalista. Carteira Profissional - 3143-A
Portugal

Adiconar comentário

Carregue aqui para comentar

Comentar

Tamanho da Fonte
Contraste