Olhão: Polícia Marítima apreende rede ilegal e liberta cavalos-marinhos

.
.

.

A Polícia Marítima de Olhão apreendeu uma rede de arrasto de vara, que está proibida, com cerca de 12 quilos de diversas espécies, entre as quais cavalos-marinhos, espécie protegida e em vias de extinção na Ria Formosa, os quais foram devolvidos ao mar ainda com vida.

As autoridades não conseguiram identificar os infratores, que se colocaram em fuga na embarcação.

A apreensão aconteceu durante uma ação de fiscalização no interior da Ria Formosa com o objetivo de fiscalizar as diversas atividades que se desenvolvem no local, em especial as de pesca, dirigidas à captura de espécies que, a coberto da noite, são levadas a cabo de forma ilícita com recurso a artes proibidas ou exercidas em locais proibidos, bem como deteção de métodos de captura da espécie cavalo-marinho.

A Polícia Marítima prosseguem agora investigações, com vista a identificar a embarcação utilizada na prática da infração.

Estes comportamentos são punidos como contraordenação, com coima de 598,56 a 37.409,84 euros, sem prejuízo da eventual responsabilidade criminal, no caso de captura de espécies protegidas.

“A Polícia Marítima, conhecendo os pontos sensíveis da zona lagunar da Ria Formosa, área protegida classificada como Parque Natural, bem como as preocupações de todos aqueles que de forma legal utilizam e exploram os recursos deste espaço, tem vindo a desenvolver ações direcionadas, de forma detetar e reprimir comportamentos que contribuem para o acentuado depauperamento dos recursos marinhos disponíveis, bem como evitar a prática de atos que afetam a segurança do tráfego marítimo”, explica a Autoridade Marítima Nacional.

pub

 

 

 

pub

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste