ALGARVE

Petição para restaurar Freguesia de Estói já tem 2.000 assinaturas

[mobileonly] [/mobileonly]


O escritor Luís Barriga anunciou que está a decorrer a petição online e em papel pela restauração da Freguesia de Estói, autarquia do concelho de Faro que foi anexada recentemente à freguesia de Conceição de Faro, tendo sido criada a União de Freguesias de Conceição e Estói.

Este movimento foi desencadeado por uma comunicação do escritor Luís Barriga, natural de Estoi, na sua página no Facebook, comunicação que suscitou uma enorme adesão e levou à criação do Grupo de Apoio à Restauração da Freguesia de Estoi, que “rapidamente atingiu mais de dois mil membros”, de acordo com o escritor.

Iniciou-se o processo de recolha de assinaturas, quer através da plataforma online, quer diretamente aos fregueses em papel, para solicitar a apreciação na Assembleia da República da restauração da freguesia.

“Estoienses, e nesta designação englobo todos os que de alguma forma estão ligados a Estoi, comungam dos seus anseios e gostariam de a ver cultural e socialmente valorizada e sobretudo respeitada”, afirma Luís Barriga.

“Ao criar esta página de preservação e divulgação da Cultura e do Património da nossa Aldeia e extinta Freguesia de Estoi, pretendia manter vivo o nosso legado cultural e estimular o sentido de pertença de cada um de nós com os seus concidadãos Estoienses”, enuncia.

“A nossa Freguesia era desde a época quinhentista uma paróquia autónoma e orgulhosa das suas raízes. No entanto, as suas origens são ainda mais remotas, o seu património e as suas tradições culturais ainda mostram com clareza a influência que as grandes civilizações europeias tiveram na nossa cultura; nomeadamente a extraordinária manifestação do sentir dos Estoienses, que é a Festa da Pinha. Estoi merece pela sua história, pela sua cultura e pelo seu património, que preservamos orgulhosamente, maior respeito, para poder definir e estruturar a sua evolução, de forma independente como o fez ao longo dos séculos”, afirma o escritor.

Sustenta o subscritor que a extinção da freguesia configurou “uma enorme injustiça e desrespeito pela nossa identidade cultural e social, pode e deve ser revertida”.

“O governo atual abriu a possibilidade da restauração da nossa Freguesia, mas é preciso que nos unamos e façamos ouvir a nossa voz, junto de quem terá o poder de decisão: órgãos eleitos e partidos políticos; para que na hora da deliberação seja claro o que os estoienses desejam”, afirma.

“Chegou o momento de nos unirmos em torno do desígnio de Restauração da Freguesia de Estoi, independentemente das nossas diferenças. Esta luta não é contra ninguém, muito menos contra os nossos vizinhos da Conceição de Faro, com quem sempre tivemos e teremos as melhores relações, esta é uma luta derivada de um imperativo histórico, o da manutenção da nossa identidade. É preciso que os Estoienses digam claramente aos decisores que para nós é muito importante que se respeite o testemunho que os nossos antepassados nos transmitiram. Esse legado só está devidamente salvaguardado, quando os destinos da Freguesia de Estói estiverem unicamente nas mãos dos seus eleitores”, conclui.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: