ALGARVE

PJ constituiu cinco arguidos nas buscas que incluíram Câmara de Albufeira

.
[mobileonly] [/mobileonly]

A Polícia Judiciária constituiu hoje cinco arguidos suspeitos de “crimes de corrupção passiva e ativa, participação económica em negócio, fraude fiscal, prevaricação e abuso de poder”no âmbito das buscas que realizou à Câmara de Albufeira e outros locais, anunciou aquela entidade policial.

Segundo a PJ, foram efetuadas “buscas domiciliárias e não domiciliárias”, na autarquia de Albufeira, em duas sociedades em Lisboa e Leiria, e no escritório de um advogado no âmbito da operação, com a designação de “Empório”, que teve a participação de quarenta investigadores e peritos da PJ.

Após a constituição dos cinco arguidos, a PJ prossegue com a investigação, para determinar “todas as condutas criminosas, benefícios ilícitos, respetivos agentes e outros coparticipantes”.

Entretanto, em comunicado, a Câmara Municipal de Albufeira manifestou a confiança no Executivo municipal e mostrou-se “disponível para colaborar” com as autoridades judiciais. 

Em nota enviada às redações, a autarquia esclarece que as buscas ao Edifício dos Paços do Concelho decorreram “na sequência de uma denúncia anónima contra eleitos e funcionários do município”.

No local, diz o Município, esteve “uma equipa de inspetores da PJ, munida do competente auto de busca”, que solicitou diversos documentos e comunicações eletrónicas “relativos à atividade da autarquia”, que foram “prontamente cedidos pelos serviços”.

A Câmara salienta que respondeu a “todas as questões formuladas pelos inspetores”.

Fonte da Câmara Municipal de Albufeira referiu ao JA que desconhece “em absoluto” o motivo das buscas.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste