Poemas de “Vida e de Morte” no cemitério de VRSA

No passado dia 2 de novembro, sábado, os Poetas do Guadiana reuniram-se pela quinta vez, no cemitério de Vila Real de Santo António para recitar poemas de “Vida e de Morte”.

Os poemas foram declamados durante uma hora, continham enorme carga sentimental e esmagadora sinceridade. A reunião poética decorreu com menos pessoas do que o esperado, mas mais empolgadas do que nunca. Naquela tarde, os poetas de Huelva, Ayamonte e Vila Real surpreenderam com os novos poemas que ofereceram aos finados.

Nesta ocasião, e para dar um toque especial, os poetas foram ao túmulo de Maria, a portuguesa, protagonista da famosa canção de Carlos Cano e que recebeu alguns dos versos de Augusto Thasio, Eladio Orta e Ana Deacracia. Um momento muito especial e muito carregado emocionalmente.

Nos próximos dias, são esperadas novas ações desses artesãos da criação escrita, para a apresentação de novos poemas, leituras reivindicativas ou distribuição de versículos em ações muito especiais. Parabéns a todos pela alegria e entrega.

Na noite do dia anterior, José Gabriel Duarte apresentou os seus novos poemas “Momentos Perpétuos”, na abadia de Pedro Orta em Ayamonte. Um reformado, silencioso, carinhoso e cheio dessa poesia que, ocasionalmente poderia ser partilhada com um copo de vinho e bons sentimentos. A poetisa Clara Lourenço foi responsável pela apresentação e posterior coordenação dos poemas de leitura.

José Luís Rua

pub

 

 

 

Tamanho da Fonte
Contraste