Portfuel sem direito a rendas e taxas de exploração de petróleo no Algarve

Procuradoria-Geral da República conclui que a Portfuel, de Sousa Cintra, não tem direito à devolução de rendas e taxas

O Estado não terá que devolver rendas e taxas de exploração do contrato celebrado com a Portfuel para exploração de petróleo no Algarve.

Esta é a conclusão de um parecer promulgado ontem, pela Procuradoria Geral da República (PGR), que já foi publicado em Diário da República. “O Estado, ao rescindir os contratos com a concessionária não tem de reconstituir a situação patrimonial originária”, esclarece a PGR.

De acordo com o parecer, a empresa de Sousa Cintra não tem direito à devolução de rendas e taxas pagos desde 2015 para a prospeção e exploração exclusiva de petróleo no Algarve.

A PGR salienta ainda que o Estado “terá apenas de restituir-lhe os montantes depositados a título de caução, conservando as quantias liquidadas como rendas de superfície e como taxas ou emolumentos”.

Os contratos com a Porfuel foram assinados a 25 de setembro de 2015, pelo anterior governo de Passos Coelho.

JA

- Publicidade-spot_img

Deixe um comentário

+ Populares

- Publicidade -castro-marim-santos
- Publicidade-spot_img

Leia Também

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Tem uma Dica?

Contamos consigo para investigar e noticiar

Tamanho da Fonte
Contraste