Portimão: Jovens correm perigo ao atravessar estradas e linhas de comboio

.

No ano passado, foram registados em Portimão 226 acidentes com transportes que resultaram em vítimas, mais 7,1% em relação ao ano anterior. A maioria são jovens que atravessam as estradas e ferrovias sem atenção em zonas desprotegidas. Por isso, a Câmara de Portimão vai lançar uma campanha em 2019, dirigida às escolas, para tentar “suprimir os comportamentos de risco”

A morte de um jovem de 21 anos, em outubro do ano passado, depois de ter sido atropelado por um comboio, em Portimão, lançou o alerta sobre os riscos de atravessamento de estradas e linhas de comboio em zonas desprotegidas. Em muitos destes casos, as jovens vítimas são colhidas pelos veículos e composições quando atravessam as vias com “fones” nos ouvidos.

É nesse sentido que 700 alunos do 7º ano dos diversos estabelecimentos de ensino do concelho de Portimão vão participar em ações práticas e ações de sensibilização sobre os riscos ferroviários e rodoviários.

Anualmente, o programa municipal de sensibilização “A Escola e os Riscos… Preparar para Proteger!”, além das habituais ações programadas, atribui, implementa e desenvolve ações relacionadas com um risco específico. Assim, em 2019, o tema é dedicado aos “riscos ferroviários e rodoviários”.

As sessões, que são destinadas a todos os alunos do 7º ano dos diversos estabelecimentos de ensino do concelho, contarão com o apoio da Infraestruturas de Portugal (IP) que, em conjunto com a proteção civil e os bombeiros de Portimão, pretendem sensibilizar os jovens a partir dos 12 anos para as boas práticas no convívio com a rodovia, e em particular com a ferrovia, invertendo o número de acidentes que se tem registado com jovens no concelho, desincentivando comportamentos de risco.

Dar a conhecer os riscos nas estradas e ferrovia”

Em Portimão, segundo o Centro Municipal de Proteção Civil e Operações de Socorro, foram registados no ano passado 226 acidentes com transportes dos quais resultaram vítimas, “um acréscimo de 7,1% quando comparado com o ano 2017, em que se registaram 211 ocorrências desta natureza”, adianta a autarquia portimonense.

Desta forma, o grande objetivo desta campanha será “suprimir os comportamentos de risco nas estradas e agora também na ferrovia, sensibilizado os jovens para a prevenção rodoferroviária, dando a conhecer os riscos inerentes”…

(NOTÍCIA COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 24 DE JANEIRO)

Tags

pub

 

 

 

pub

WP2FB Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste