FUTEBOL

Portimonense empata com Paços de Ferreira em jogo com final emocionante

Portimonense e Paços de Ferreira empataram (1-1) segunda-feira à noite na ronda inaugural da I Liga de futebol, num jogo com uma ‘ponta’ final emocionante, em que Samuel defendeu um penálti de Douglas Tanque ao nono minuto de descontos.

Lucas Possignolo, com um golo na própria baliza, aos 45+2, abriu o marcador para os forasteiros, e o regressado Fabrício empatou no arranque da segunda metade (52).

Nos descontos da partida, o juiz Iancu Vasilica anulou uma grande penalidade a favor do Portimonense com a ajuda do vídeo-árbitro (VAR), e assinou um penálti a favor dos pacenses, que seria desperdiçado, também após visionar as imagens.

Com as duas estruturas muito próximas do que apresentaram na época passada, Paulo Sérgio lançou três reforços para o ‘onze’ do Portimonense (Maurício, Welinton Jr. e Fabrício) e Pepa escolheu apenas duas ‘caras novas’ (Jordi e Luther Singh).

A primeira parte foi bem disputada, com as duas equipas a exibirem os mesmos predicados da temporada anterior e a dividirem as ‘despesas’ atacantes à vez, embora o Paços acabasse por sair ‘por cima’ perto do intervalo.

Até foram os pacenses que criaram o primeiro momento de perigo, ao sexto minuto da partida, num remate de Luther Singh que Samuel defendeu para frente, sendo obrigado a nova defesa para canto na recarga de Douglas Tanque.

O Portimonense reagiu pouco depois, aos 13, com Welinton Jr. a entrar na área pela esquerda e a proporcionar uma grande defesa ao guardião Jordi, antes de Fali Candé atirar, de livre direto, ao lado (22).

Aos 34 minutos, o Portimonense não soube aproveitar um mau passe de Marco Baixinho, com Dener a atirar ao lado, de fora da área, e o Paços respondeu no minuto seguinte, com Luther Singh a obrigar Samuel a mais uma estirada para canto para evitar o cruzamento/remate.

Em cima do intervalo, no segundo minuto de descontos, os pacenses chegaram à vantagem: Lucas Possignolo e Marco Baixinho discutiram no ar um canto assinado por João Amaral e a bola ressaltou das costas do defesa brasileiro para a baliza.

Paulo Sérgio mexeu ao intervalo, adicionando mais ‘armas’ ofensivas com Aylton Boa Morte e Beto, e a sua equipa não demorou a igualar o marcador: Lucas Fernandes marcou um livre da direita e Fabrício, a iniciar a sua quarta passagem por Portimão num percurso iniciado em 2011, assinalou o regresso com um golo (52).

Com o passar dos minutos, o Portimonense pareceu acusar mais a falta de ritmo de início de época, baixando as linhas e deixando o conjunto orientado por Pepa assumir um ascendente ofensivo.

Douglas Tanque teve duas ocasiões com remates de fora da área (atirou ao poste, aos 70, e ao lado oito minutos depois) e Stephen Eustáquio também o imitou com um ‘tiro’ de longe a rasar o poste esquerdo da baliza de Samuel (80).

O encontro terminou em tons polémicos: aos 90+3, Iancu Vasilica, que tinha dado três minutos de descontos, assinou grande penalidade para os algarvios por mão de Lucas Silva, mas, depois de visionar o lance após alerta do VAR (Hugo Miguel), voltou atrás na decisão, sob muitos protestos dos locais.

O jogo prosseguiu e o mesmo Lucas Silva ‘embrulhou-se’ com Maurício na área do Portimonense: Vasilica foi ao VAR e assinou grande penalidade, por ‘pisão’ do central, mas Douglas Tanque, na conversão do ‘castigo máximo’, permitiu a defesa de Samuel com um remate praticamente ao meio da baliza (90+9).

Já para lá do tempo de desconto inicialmente atribuído, ainda deu para o contra-ataque algarvio e para um livre ‘encostado’ à esquerda, que o guardião pacense defendeu antes do ‘apito’ final.

Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: