DESPORTO

Portimonense ganha ao Oliveirense e passa na Taça de Portugal

O primodivisionário Portimonense suou neste domingo para vencer a Oliveirense, da Liga 3, por 5-4 nas grandes penalidades, após um empate 3-3 no prolongamento, numa grande partida da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol.

Os algarvios estiveram sempre na frente do resultado com Renato Júnior a ‘bisar’ no tempo regulamentar, aos 20 e aos 55 minutos, mas Luisinho (35) e João Paredes (85) mostraram que o primeiro classificado da Série A da Liga 3 não ia cair facilmente.

No tempo extra, uma infelicidade de Simão Fernandes devolveu a liderança aos ‘alvinegros’, aos 113 minutos, mas o ‘capitão’ Filipe Alves devolveu a esperança aos oliveirenses, aos 119. Nas grandes penalidades, valeu a defesa de Payam ao remate de Ono e o penálti decisivo de Moufi, que ‘carimbou’ a passagem do quinto classificado da I Liga.

À procura de dar seguimento à vitória no Estádio da Luz, os algarvios – que estrearam Nakajima no ‘onze’ – inauguraram o marcador num cabeceamento de Renato Júnior no seguimento de um pontapé de canto, embora, apesar das oportunidades, não conseguiram aumentar a vantagem, até que Luisinho apareceu no sítio certo e empatou a partida.

No segundo tempo, Renato Júnior foi lançado na profundidade, ganhou na disputa com Raniel, fintou Nuno Silva e recolocou os ‘alvinegros’ na frente, e cinco minutos depois, um erro do central brasileiro deixou o ‘hat-trick’ à mercê do avançado, que foi negado por Nuno Silva.

Os algarvios baixaram o ritmo, mas os oliveirenses não baixaram os braços e encostaram os adversários ao meio-campo defensivo, beneficiando de uma grande penalidade a cinco minutos do fim. Payam ainda defendeu o castigo máximo de João Paredes, mas o avançado igualou na recarga e levou o jogo para prolongamento.

Na etapa complementar, o Portimonense voltou à liderança num duplo erro adversário, primeiro Filipe Alves perdeu o esférico em zona proibida e, no seguimento de um cruzamento de Carlinhos, Simão Fernandes desviou para a própria baliza. Porém, o ‘capitão’ redimiu-se num lance de insistência e adiou a decisão para as grandes penalidades.

O guarda-redes iraniano agigantou-se para travar o remate de Ono, na única tentativa falhada, sendo que o tento decisivo pertenceu a Moufi e o marroquino ‘carimbou’ a passagem à próxima eliminatória.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste