DESPORTO

Portimonense impõe primeira derrota da época ao Benfica

farense benfica out 2021

Um golo de Lucas Possignolo deu hoje a vitória ao Portimonense diante do líder Benfica, por 1-0, em jogo da oitava jornada da I Liga de futebol, que se traduz na primeira derrota dos ‘encarnados’ esta temporada.

Depois de uma primeira parte sem golos, Lucas Possignolo, aos 66 minutos, fez o tento da vitória dos algarvios, apesar de o Benfica ter dominado por completo todos os indicadores do jogo: ataques, remates à baliza e cantos. Todos, menos o mais importante: golos.

Apesar do resultado, os adeptos despediram-se da equipa com uma forte ovação, sinal de reconhecimento do trabalho feito pelo Benfica.

Depois do triunfo, por 3-0, diante do Barcelona, para a Liga dos Campeões, e com o estádio bem composto, mas longe da lotação máxima, mesmo retirando as clareiras nos setores destinados ao Cartão do Adepto, apesar de já não haver limitação do público.

O último jogo sem esta limitação no Estádio da Luz tinha sido a 02 de março de 2020, no empate (1-1) com o Moreirense, na 23.ª jornada da temporada 2019/20, na sequência do qual o Benfica foi igualado e ultrapassado pelo FC Porto (no confronto direto), que viria a sagrar-se campeão. Depois veio a pandemia de covid-19, saiu o público e houve uma longa ‘travessia no deserto’.

Esta tarde, a equipa de Portimão entrou mais forte no jogo, a pressionar o portador da bola do Benfica e a ocupar bem os espaços. Os ‘encarnados’ tiveram de apostar nas características individuais, nomeadamente, na velocidade de Rafa e Darwin para tentar surpreender os algarvios.

Yaremchuk, aos 22 minutos, deu o primeiro sinal de perigo, com o remate de pé esquerdo no coração da pequena área, para defesa de Samuel Portugal, e, aos 29, Darwin falhou o cabeceamento por muito pouco.

Apesar do domínio dos ‘encarnados’, com 12 tentativas de golo e seis remates enquadrados, o ‘nulo’ ao intervalo colocava em evidência o excelente trabalho de Samuel Portugal.

O guarda-redes brasileiro foi o grande responsável deste empate, ao mostrar grande qualidade, nomeadamente, nos remates mais difíceis, como foi o caso do livre direto de Grimaldo, aos 37 minutos, e o cruzamento, aos 44, ou a tentativa de chapéu de Rafa Silva, que correu meio campo, aos 42.

O Benfica, que deixou no balneário Gilberto e chamou ao ‘onze’ Gil Dias, entrou a todo o gás e, aos 49 minutos, viu Yaremchuk ‘fuzilar’ a baliza do Portimonense, a bola bateu no poste, mas dada a força do remate, embateu nas costas de Samuel Portugal e entrou na baliza. Contudo, o atacante ucraniano estava em posição irregular e, após intervenção do VAR, o golo acabou por ser anulado.

Apesar do domínio dos ‘encarnados’ Lucas Possignolo, aos 66 minutos, colocou de cabeça o Portimonense a vencer, depois de um canto cobrado, na direita, por Lucas Fernandes, com a bola a passar entre as pernas de Vlachodimos.

Os comandados de Jorge Jesus mantiveram-se em ‘cima’ do adversário, encostaram-no ao último terço do terreno, procuravam não o deixar respirar, na tentativa de chegar o mais rapidamente possível à igualdade.

Ora pelos flancos, ora pelo corredor central, sobretudo pelas iniciativas de Rafa, o Benfica bem tentava o empate, mas, aos 79 minutos, esteve muito perto de sofrer o 2-0, quando Lucas Fernandes rematou a rasar o poste direito da baliza de Vlachodimos.

Aos 84 minutos, Fali Candé, em cima da linha de golo, ‘roubou’ a igualdade a Otamendi, que estava na zona do segundo poste, na sequência de um canto cobrado por João Mário.

Os algarvios iam defendendo como podiam, aproveitavam todas a oportunidades para queimar alguns segundos e, aos 87 minutos, Jorge Jesus colocou em campo Gonçalo Ramos, para o lugar de Lucas Veríssimo, passando o Benfica a jogar em 4-4-2, em detrimento do 3-5-2 com que iniciou o encontro.

Esta alteração revelou-se tardia, já que o marcador acabou por não sofrer alterações, apesar dos sete minutos de compensação dados pelo árbitro leiriense Fábio Veríssimo e da tentativa de Otamendi, aos 90+5.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste