ATUALIDADE PAÍS & MUNDO ÚLTIMAS

Portugueses são os que menos identificam sintomas do cancro do pulmão

O Dia Mundial do Não Fumador celebra-se anualmente a 17 de novembro
O Dia Mundial do Não Fumador celebra-se anualmente a 17 de novembro

Dia Mundial do Não Fumador celebra-se hoje, 17 de novembro.

Apesar do cancro do pulmão ser uma das doenças oncológicas que mais mortes provocam em todo o mundo, 33 por cento dos portugueses desconhece totalmente os sintomas. A taxa de incidência aponta para cerca de 4000 novos casos por ano em Portugal.

Esta é uma das conclusões de um estudo agora divulgado pela Pulmonale – Associação Portuguesa de Luta Contra o Cancro do Pulmão.

O estudo realizado pela Global Lung Cancer Coalition (GLCC) e divulgado em Portugal pela Pulmonale, que integra esta aliança internacional de organizações de luta contra o cancro do pulmão, partiu da análise de 17 mil entrevistas realizadas em 21 países, revelando que uma em cinco pessoas desconhece totalmente quais os sintomas associados ao cancro do pulmão.

Os portugueses (33%), os mexicanos (35%), os argentinos (42%) e os egípcios (48%) foram os que mais vezes afirmaram não conhecer nenhum dos sintomas. No outro extremo, os franceses (7%) e os irlandeses (9%) foram aqueles que revelaram ter um maior conhecimento da doença, apresentando um elevado grau de consciencialização.

Segundo Matthew Peters, presidente da Global Lung Cancer Coalition, pretendeu-se com este estudo “chamar a atenção dos governos e das organizações de saúde para estes resultados, uma vez que é fundamental tomar medidas para aumentar a consciencialização sobre o cancro do pulmão.” Aquele responsável acrescenta ainda que “é chocante pensar que quase um quarto das pessoas não consegue citar nenhum dos sintomas do cancro que mais mata em todo o mundo”.

O estudo concluiu ainda que os ex-fumadores estão ligeiramente mais sensibilizados para os sintomas do cancro do pulmão, comparativamente aos fumadores e aos não-fumadores. Contudo é em França, na Irlanda e em Portugal que os fumadores apresentam um maior grau de conhecimento dos potenciais sintomas da doença.

No total dos países a falta de ar foi o sintoma mais vezes identificado, por 41 por cento dos inquiridos, seguindo-se a tosse (39%). Poucos foram os inquiridos que revelaram conhecer sintomas como a tosse com sangue e a tosse que se agrava como sintomas.

Para António Araújo, presidente da Pulmonale “a falta de conhecimento dos sintomas leva, a maioria das vezes, a um diagnóstico tardio, o que explica as elevadas taxas de mortalidade do Cancro do Pulmão. Esta é uma das razões que justifica os 1,4 milhões de pessoas que morrem anualmente em todo o mundo e a taxa de incidência de cerca de 4000 novos casos por ano em Portugal”.

“4000 mil novos casos nos céus de Portugal”

Atendendo aos dados do estudo que revelam a falta de conhecimento em torno de uma doenças oncológicas mais mortíferas, e como forma de assinalar o Dia Mundial do Não Fumador, a Pulmonale realiza este domingo uma largada de 4000 balões que iluminarão os céus de Lisboa e Porto.

Esta é uma ação simbólica que pretende não só assinalar o Dia Mundial do Não Fumador, como também prestar uma homenagem aos cerca de 4000 novos casos de cancro do pulmão que todos os anos fazem parte da estatística nacional.

“É importante levar as pessoas a refletir sobre esta realidade que acreditamos ser possível alterar. O cancro do pulmão é uma das principais causas de morte evitáveis se atendermos ao facto de 90 por cento se dever aos hábitos tabágicos”, refere o presidente da Pulmonale.

A ação está marcada para as 19h00 em Lisboa, na Praça Luis de Camões, e no Porto, na esquina entre a Rua das Carmelitas e a Rua Cândido dos Reis.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste