CULTURA ÚLTIMAS

Prémio destaca algarvios que mais contribuíram para a região

.
.

“Destacar e reconhecer o mérito de personalidades algarvias cujo longo percurso cultural e cívico as tenha revelado como protagonistas de intervenções particularmente relevantes e inovadoras na região” é o grande objetivo do Prémio Regional Maria Veleda, uma iniciativa da Direção Regional de Cultura do Algarve

O período para apresentação de propostas de candidaturas à quarta edição do Prémio Maria Veleda já está a decorrer e prolonga-se até 15 de setembro.

Esta iniciativa da Direção Regional de Cultura do Algarve propõe-se “destacar e reconhecer o mérito de personalidades algarvias cujo longo percurso cultural e cívico as tenha revelado como protagonistas de intervenções particularmente relevantes e inovadoras na região”.

Desde a criação deste prémio já foram distinguidos Margarida Tengarrinha (primeira edição) e José Louro (terceira edição).

A direção regional de Cultura informa que qualquer cidadão ou instituição regional, pública ou privada, poderá apresentar as propostas a serem enviadas via postal para a sede da direção regional, na Rua Dr. Pinheiro e Rosa, nº 1, 8005-546 Faro, ou entregues presencialmente.

O prémio tem associado um valor de cinco mil euros e uma medalha comemorativa.

A designação do prémio pretende recordar e homenagear Maria Veleda, nascida em Faro (1871-1955), uma professora primária pioneira na luta pela educação das crianças e pelos direitos das mulheres, pelos ideais de justiça, pela liberdade, pela igualdade e pela democracia.

Uma vida repleta de lutas e conquistas

A professora Natividade Monteiro, que possui um vasto trabalho de investigação sobre a vida e obra de Maria Carolina Frederico Crispim, cujo pseudónimo é Maria Veleda, destaca “um percurso de vida de uma mulher que sem estudos elevados veio a tornar-se uma das mais influentes do nosso país na luta pela justiça e igualdade de oportunidades entre mulheres e homens, entre os quais o direito ao voto”.

“Foi uma republicana, feminista, conferencista, livre-pensadora e lutadora pelos direitos das mulheres”, referiu.

Com uma vida repleta de lutas e conquistas, Maria Veleda foi a primeira mulher a pertencer a variados centros escolares e associações, fundou outras tantas e iniciou as aulas noturnas para as mulheres já adultas.

Quando viu os seus textos publicados em jornais, começou a assinar como Maria Veleda, nome escolhido já em função dos seus ideais.

NC|JA

PUB
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste