Primeiras sardinhas nascidas em cativeiro são um sucesso

A Estação Piloto de Piscicultura de Olhão (EPPO) anunciou esta semana que o trabalho de investigação com as sardinhas está a ser um sucesso. “Na primavera do ano passado, as sardinhas selvagens que temos na EPPO reproduziram-se naturalmente. Esses ovos de sardinha deram origem a um lote que, passado quase um ano, já atingiram os 16 centímetros! Já têm tamanho para ir para a grelha, mas nós não queremos, vamos aguardar pelas posturas deste lote já nascido na EPPO”, revelam os responsáveis.

O estudo que está a ser desenvolvido na Estação de Piscicultura de Olhão vai permitir conhecer o ciclo da sardinha. Com estes dados, que não são possíveis de observar no mar, vai ser possível identificar eventuais problemas da espécie e tentar resolvê-los.

“Ao manter esta espécie em cativeiro, foi possível aprofundar o conhecimento em termos da sobrevivência, resposta comportamental e impacto físico e fisiológico (stress), em diversas simulações de pesca, realizadas em ambiente controlado. Adicionalmente, foi também estudada a capacidade de reação da sardinha à predação ocorrida após rejeição/libertação na pesca de cerco”, explicam os investigadores, adiantando que as sardinhas em cativeiro são alimentadas com ração comercial e têm apresentado um crescimento rápido e uma baixa taxa de mortalidade…

(NOTÍCIA COMPLETA NA ÚLTIMA EDIÇÃO DO JORNAL DO ALGARVE – NAS BANCAS A PARTIR DE 7 DE FEVEREIRO)

Advertisements

pub

 

Advertisements
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste