ALGARVE

Produtores locais discutem o futuro da região

Produtores locais
Créditos fotográficos: Alexander Schimmeck
Decorreu a 14 de outubro mais um encontro da Rede de Produtores Locais do Algarve, onde se discutiram os projetos e as linhas de ação que irão ser lançadas para a região, no período entre 2022-2025, divulgou Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve.

O projeto da Rede de Produtores Locais do Algarve visa a formalização de circuitos de comercialização baseados em cadeias curtas, aproximando os produtores agroalimentares dos consumidores, garantindo os requisitos de qualidade e segurança alimentar e o apoio técnico aos produtores. Atualmente, esta rede é composta pela Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAP Algarve), Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural (DGADR), Direção-Geral da Alimentação e Veterinária (DGAV), AMAL, Universidade do Algarve, os municípios de Lagos, Loulé e Tavira e as três Associações de Desenvolvimento do Litoral do Algarve (Vicentina, In Loco e Terras do Baixo Guadiana).

Um dos projetos que já se encontra vigor abrange os “Sistemas Alimentares Sustentáveis”, uma ação coordenada pela AMAL e que decorrerá até final de 2022, com vista à implementação de um sistema de compras públicas agregadas da produção local para abastecimento de instituições locais e regionais, como por exemplo escolas e Instituições Particulares de Solidariedade Social, entre outras, centrando-se em circuitos curtos de comercialização, assentes em modos de produção e consumo ambientalmente sustentáveis que promovam a biodiversidade, os conhecimentos tradicionais e as dietas saudáveis, com grande foco na Dieta Mediterrânica.

As linhas de ação deste projeto estão ainda assentes na realização de diagnósticos para a reorganização de mercados locais nas cadeias curtas de comercialização, na avaliação do mercado institucional do alimento a nível regional e municipal, testar ações-piloto relativas ao abastecimento de cantinas públicas e no desenvolvimento de uma estratégia global de compras públicas de alimentos para a região.

Foi também discutida, a preparação de uma candidatura a implementar no período compreendido entre 2022 e 2025, no âmbito do PRR – o projeto intitulado de “Terra Futura”, promovido pelo Ministério da Agricultura e focado em promover a sustentabilidade junto da produção local, com destaque para os modos de produção sustentável que levarão à diminuição da pegada ecológica e à coesão social, territorial e ambiental. O projeto “Terra Futura” prevê um conjunto de atividades, tais como identificar novos produtores e produções locais; aumentar o número de agricultores e área de produção com modos de produção sustentáveis; criar serviços de apoio à inovação e desenvolvimento de produtos; apoiar a organização e assistência técnica a produtores locais e a realização de ações de capacitação; criar um sistema de abastecimento à restauração coletiva com cantinas; criar um modelo de organização e funcionamento de mercados de produtores locais e organizar ações de sensibilização com o objetivo de aumentar o nível de adesão à Dieta Mediterrânica.

Prevê-se que nos próximos encontros, com datas a anunciar pela organização, sejam apresentadas e discutidas as diferentes componentes da candidatura e do plano de ação da Rede de Produtores Locais do Algarve.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste