Proposta do PS pode levar Algarve a receber mais fundos europeus

O deputado do PS eleito pelo Algarve Luís Graça regozijou-se, esta semana, com o conteúdo do relatório produzido pela comissão de acompanhamento do processo da ‘Estratégia Portugal 20/30’ e que foi aprovado no parlamento, por iniciativa do grupo parlamentar do PS.

No texto aprovado, o parlamento português recomenda ao Governo que, no âmbito das negociações com a Comissão Europeia do próximo Quadro Financeiro Plurianual, seja possível rever a classificação das regiões de coesão, permitindo, no limite, reabrir o precedente que permita a Portugal propor um ajustamento de regiões de transição – a título de exemplo a região do Algarve – para efeito de acesso a fundos europeus no quadro 20/30.

“Trata-se de voltarmos a ter a prerrogativa que tínhamos no QREN e que nos permitiu, entre 2007 e 2013, apesar já sermos então considerados uma região ‘rica’ por termos um Produto Interno Bruto (PIB) superior a 75% da média da União Europeia, ter acesso a uma maior fatia de verbas dos fundos de política de coesão”, explica o deputado e presidente do PS Algarve.

“Estas verbas dos fundos de política de coesão no âmbito do próximo quadro destinam-se à formação e à área social, áreas muito importantes para a nossa região”, clarifica Luís Graça, recordando que, por exemplo, o Algarve é historicamente o distrito do país com a mais alta taxa de abandono escolar.

Advertisements

pub

 

Advertisements
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste