POLÍTICA

PS quer tornar Faro numa “cidade 15 minutos”

Jardim Manuel Bivar faro

O candidato do PS à presidência da Câmara de Faro, João Marques, assumiu hoje querer recuperar o plano de mobilidade da cidade, que “está em atraso”, e tornar a capital algarvia numa “cidade 15 minutos”.

À margem de uma ação de campanha de bicicleta que levou esta manhã a comitiva socialista pelas freguesias do interior do concelho, João Marques afirmou à Lusa que é necessário construir mais ciclovias e fazer mais investimento.

“A bicicleta deve ser um meio de transporte fundamental, mas para isso tem de se fazer a renovação e construção de ciclovias, o que implica investimento e recuperar o plano de mobilidade, que está em atraso e que cria muitas alterações na cidade, não só na mobilidade como também de espaços verdes e passeios”, assumiu.

Para isso, defendeu ser necessário um investimento “bem planificado” para que se criem “ligações entre as freguesias mais rurais ou mesmos mais urbanas, como Montenegro, à cidade”, mas sublinhou a necessidade de estarem “bem sinalizadas”, dando “mais segurança” aos utilizadores.

João Marques afirmou também que Faro se pode inserir no conceito da cidade “15 minutos”, numa noção de que será possível uma deslocação para “qual lado da cidade ou do concelho” nesse espaço temporal.

O candidato defendeu “mais investimento” nas principais vias e naquelas que são “mais estruturantes” para que possam ser criadas “boas ciclovias”, que permitam atividades de lazer, mas também para a deslocação dentro da cidade.

Assumindo que muito já está feito no estabelecimento de regras de como se deve andar na cidade, deu como exemplo a passagem de algumas estradas “a um único sentido”, reservando um espaço para bicicletas em “dois sentidos”, mas realçou que é preciso “criar as regras e anunciar, para que esteja bem demarcado”.

“Não tenho dúvidas que em termos do que são as ciclovias, mas também de percursos nas zonas rurais, num curto espaço de tempo vamos marcá-los, delimitá-los e anunciá-los porque depois também se devem promover”, notou.

Em relação ao desenvolvimento e necessidades das freguesias do interior, João Marques considerou que deve haver construção de habitação a preços controlados para “atrair mais jovens” para essas localidades, mas também que se garantam infraestruturas e redes de esgotos, o que é necessário “finalizar”.

 O PS tem como adversários na corrida à presidência da capital algarvia o repetente Rogério Bacalhau (PSD/CDS-PP/IL/MPT/PPM) – que se candidata a um terceiro e último mandato -, Catarina Marques (CDU), Custódio Guerreiro (Chega), Elza Cunha (PAN) e Aníbal Coutinho (BE).

Nas eleições de 2017, a coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM obteve 43,94% dos votos, alcançando maioria absoluta no executivo, com cinco vereadores. O PS conseguiu 38,06% dos votos (restantes quatro vereadores) e a CDU, com 7,38%, perdeu o vereador que tinha assegurado em 2013.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste