ALGARVE ÚLTIMAS

Raia do Guadiana quer ser Património Imaterial da Humanidade

.
.

Os municípios portugueses de Castro Marim e Vila Real de Santo António e os espanhóis de Ayamonte e Cortegana vão candidatar a fronteira marcada pelo Rio Guadiana (que separa Portugal e Espanha) a Património Imaterial da Humanidade da UNESCO.

Os fundamentos desta candidatura, estudados e a aprofundar por uma equipa de investigadores da Universidade Internacional da Andaluzia, vão ser apresentados na próxima quinta-feira, a partir das 09h30, no Revelim de Santo António, em Castro Marim.

Trata-se da fronteira mais antiga da Europa, permanecendo inalterável desde há 750 anos quando foi assinado o Tratado de Badajoz.

Aquele documento histórico definiu a linha divisória entre os reinos vizinhos e perdurou ao longo dos séculos como uma fronteira natural e inalterável, tendo o seu início na foz do rio Guadiana, com Ayamonte do lado espanhol e Castro Marim e Vila Real de Santo António do lado português. Prolonga-se rio acima, percorrendo a província de Huelva, até à cidade de Badajoz, onde os monarcas medievais situaram o extremo norte da primeira fronteira da Europa que permanece até aos dias de hoje.

Desde o século XIII até ao século XXI, a raia configurou o quotidiano, a vida, o comércio, o património, a cultura e as lendas dos territórios que fazem parte da fronteira, supondo um mútuo enriquecimento, aberto, diversificado, rico, expressivo e vital.

Tendo como ponto de partida a efeméride de 1267 e a celebração, em 2017, do 750.º aniversário da Raia, está a ser preparado um vasto programa de atividades conjuntas entre os territórios de Portugal e de Espanha, que partilham a raia do Guadiana.

Foram estabelecidos como objetivos fundamentais: Promover a marca cultural-turística “A Raia, a fronteira mais antiga da Europa”; Europa dos rios fronteiriços para o intercâmbio e o desenvolvimento regional em torno da cultura e do património natural; Ibéria como conceito de integração cultural e económica; e a água do Guadiana como elemento simbólico para a união luso-espanhola e material para a consolidação de espaços de contacto entre artistas e comunidades criativas.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste