“Região Resiliente 2.0” vai criar plataformas para prevenir catástrofes

Para o efeito, as três entidades estabeleceram um protocolo de cooperação, o qual define o Algarve como a região piloto deste projeto, atento o seu papel particularmente ativo na implementação, à escala regional e local, dos princípios da Estratégia Internacional para Redução do Risco de Catástrofes, instituída pelas Nações Unidas através do Quadro de Sendai 2015-2030.

O projeto pretende promover a participação ativa dos cidadãos, das universidades, das empresas e dos serviços públicos nos esforços globais de criação de comunidades mais resilientes. Tal será obtido através da integração das medidas de redução do risco de catástrofes e de adaptação às alterações climáticas nas políticas locais, em linha com os objetivos da Estratégia Nacional para uma Proteção Civil Preventiva 2030.

Com uma duração de nove meses, o projeto “Região Resiliente 2.0” irá abranger os 16 municípios que integram a AMAL, englobando quatro fases: capacitação imersiva para os elementos da equipa do projeto;

investigação com trabalho de campo destinado a avaliar os desafios localmente existentes; conceção e desenvolvimento de uma solução em cocriação com todas as partes envolvidas; experimentação e validação da solução entre todas as partes envolvidas.

Deixe um comentário

- Publicidade-PUB aguas do algarve

Leia Também

+ Populares

Tem uma Dica?

Contamos consigo para investigar e noticiar

- Publicidade -PUB tavira

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite o seu comentário!
Por favor, digite o seu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Tem uma Dica?

Contamos consigo para investigar e noticiar

Tamanho da Fonte
Contraste