POLÍTICA

Rui Cristina questiona Governo sobre “mau serviço” dos CTT de Loulé

Rui Cristina PSD Loule

O deputado eleito pelo círculo do Algarve, Rui Cristina, questionou esta semana o Governo e o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, sobre o “mau serviço” dos CTT do concelho de Loulé.

Segundo o comunicado, este “mau serviço que está a ser prestado por parte dos CTT, a muitos cidadãos, já penalizados por outros fatores de interioridade” está a acontecer mais concretamente na União das Freguesias de Tor, Benafim e Querença e na freguesia de Salir.

Rui Cristina quer saber se “o Governo tem alguma responsabilidade direta ou indireta no incumprimento reiterado, por parte dos CTT, das normas acordadas na concessão do serviço postal universal, naquelas zonas de baixa densidade do concelho de Loulé e o que pode fazer o executivo para obrigar a empresa CTT ao cumprimento escrupuloso do serviço público de correios”.

O deputado questiona ainda o Governo se na resolução que determina a designação dos CTT como prestador do serviço postal universal “estão contidos preceitos que alterem o tipo de serviço a prestar a populações residentes em áreas de baixa densidade”.

Apesar de considerar que a distribuição postal universal é “um serviço público fundamental para as populações e da maior importância para a coesão territorial”, o mesmo “não tem correspondido às necessidades” dos cidadãos.

Segundo a nota enviada às redações, é na União de Freguesias de Querença, Tor e Benafim “onde os serviços têm vindo a piorar”, apesar de já terem sido apresentadas diversas reclamações pela presidente, que não obteve resposta. Já em Salir, a localidade é servida “unicamente por uma distribuição semanal”.

Nestas freguesias, segundo Rui Cristina, “a distribuição do correio tem vindo a registar atrasos superiores a um mês, pelo que há cidadãos penalizados por não terem recebido a correspondência de Tribunais ou da Segurança Social”.

Além destas falhas denunciadas, o deputado destaca a não autorização de pagamentos nos postos dos CTT que funcionam na Junta de Freguesia, à alteração constante dos giros dos carteiros e a existência de contratos de trabalho semanais.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste