ALGARVE

São Brás de Alportel inaugura requalificação da principal avenida da vila

A criação de circuitos para pessoas com mobilidade reduzida, o enterramento de linhas elétricas e a valorização da calçada portuguesa são marcas da requalificação da principal avenida de São Brás de Alportel, a inaugurar na quinta-feira, destacou o município.

O presidente da Câmara de São Brás de Alportel, Vítor Guerreiro, disse à Lusa que a inauguração do primeiro troço da requalificação da Avenida da Liberdade, com a presença da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, integra a estratégia do município de “valorização e restruturação das ruas do centro histórico, criando acima de tudo circuitos acessíveis para pessoas com mobilidade reduzida”.

A requalificação da avenida central de São Brás de Alportel, que liga a circular norte ao centro histórico, “está dentro da Plano de Ação de Regeneração Urbana (PARU)” e junta-se às reabilitações realizadas no Largo de São Sebastião e na rua Gago Coutinho, “a rua principal da Câmara”, precisou o autarca.

“Era uma avenida cuja arquitetura já não se enquadrava dentro das exigências que queremos hoje para a qualidade de vida dos nossos munícipes e era importante também a substituição de todas as infraestruturas subterrâneas, como as condutas de água. Enterrámos toda a parte de iluminação elétrica”, explicou Vítor Guerreiro.

A par destas intervenções, foram criados “circuitos acessíveis” e foi feita a “valorização da calçada portuguesa artística”, com um trabalho realizado pelos calceteiros numa “homenagem ao património imaterial” do concelho que é a Procissão de Aleluia do Domingo de Páscoa, replicando os tapetes de flores”.

Também foram colocadas árvores para tornar o espaço mais agradável e com sombras.

“Mantivemos a circulação de trânsito, porque neste momento ainda é necessário manter a circulação nos dois sentidos, os lugares de estacionamento, mas acima de tudo criámos mais e melhores condições para os peões, o que para nós é fundamental, valorizando o comércio e a circulação de todas as pessoas que utilizam esta via principal da vila”, justificou.

Concluída a requalificação do primeiro troço da Avenida da Liberdade, a autarquia já deu início “há cerca de duas semana à segunda fase, que passa pela repavimentação” da restante avenida, com “substituição de lancis no separador central e nos passeios e criação de um circuito acessível também para pessoas com mobilidade reduzida”.

Vítor Guerreiro adiantou que o prazo de execução previsto para a segunda fase é de 90 dias e a obra vai “ligar todo o centro histórico com circuitos acessíveis até à zona norte da Avenida da Liberdade, junto à Rotunda do Centenário”.

A mesma fonte esclareceu que a primeira fase da obra “custou perto de 300 mil euros” e uma parte foi financiada pelo PARU, enquanto a segunda fase custará cerca de 150 mil euros, sem financiamento comunitário.

Sobre a presença da ministra da Coesão Territorial na cerimónia de inauguração, na quinta-feira, às 19:00, Vítor Guerreiro disse ficar “muito satisfeito por poder aceder ao convite”.

“Temos muito gosto em receber a senhora ministra porque lutamos todos os dias para que exista de facto coesão no nosso país, que é tão pequeno, e agora que está de moda esta ligação pelo interior de Portugal pela Estrada Nacional 2. Temos valorizado bastante este aspeto também”, afirmou.

Tamanho da Fonte
Contraste
%d bloggers like this: