ALGARVE ÚLTIMAS

São Brás de Alportel oferece ecopontos domésticos

O município de São Brás de Alportel entra em 2019 com o arranque de uma campanha de sensibilização ambiental, que tem por objetivo apelar à população para a adoção de rotinas de deposição seletiva de resíduos, obrigatórias e fundamentais para a defesa do meio ambiente e garantia do futuro.

“Esta campanha integra a estratégia global gestão de resíduos do município, que tem por objetivo aumentar a quantidade de resíduos encaminhados para reciclagem e, ao mesmo tempo, reduzir a quantidade encaminhada para tratamento mecânico biológico e/ou aterro sanitário para contribuir para a redução de emissões dos gases com efeitos de estufa, responsáveis pelas alterações climáticas, e promover a economia circular, alcançando a desejada sustentabilidade ambiental”, salienta a autarquia.

Esta campanha de sensibilização inclui a oferta de ecopontos domésticos a toda a população. Para obter este ecopontos, os munícipes devem dirigir-se à unidade de ambiente e serviços urbanos, no edifício da câmara municipal.

Esta iniciativa, concretizada através de uma candidatura a fundos comunitários, visa incentivar o aumento da separação de resíduos nos lares são-brasenses.

Por outro lado, a autarquia destaca a disponibilização de “um crescente número de equipamentos de deposição seletiva” em todo o concelho, cada vez mais próximos de toda a população, assim como a implementação do serviço de recolha seletiva porta-a-porta na zona histórica da vila.

Quanto mais poluir, mais paga”

Brevemente, a câmara municipal pretende ainda implementar um projeto-piloto em algumas urbanizações do concelho: o projeto PAYT “pay-as-you-throw” (“pague como joga”), um sistema inovador que pretende instituir o princípio de “quanto mais poluir, mais paga”, permitindo que a tarifa a pagar por cada consumidor, seja de acordo com a quantidade de resíduos urbanos produzidos e colocados indiferenciadamente no contentor do lixo.

Segundo palavras do presidente da câmara municipal, Vitor Guerreiro, “a qualidade ambiental do nosso futuro depende sobretudo da gestão de resíduos que é feita no presente”. “É este o desafio central das políticas ambientais adotadas pelo município: agir e sensibilizar a comunidade para fazer face aos hábitos de consumo atuais, promotores do aumento de resíduos que conduzem a sérios problemas ambientais, como o efeito de estufa e as alterações climáticas, que ameaçam a nossa casa comum, o planeta Terra”, frisou o autarca, concluindo que “o lixo é um problema de todos nós e está em cada um de nós a solução para minimizar o seu impacto na qualidade de vida das gerações vindouras”.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste