Se os médicos não vêm para o Algarve, os doentes vão até aos médicos

O acordo visa facilitar o acesso dos utentes algarvios à especialidade de ortopedia, onde os tempos de espera no Algarve atingem os dois anos e meio
O acordo visa facilitar o acesso dos utentes algarvios à especialidade de ortopedia, onde os tempos de espera no Algarve atingem os dois anos e meio

A distribuição de médicos no país reflete um problema sério: os profissionais de saúde não querem trabalhar no interior e no Algarve. A falta de especialistas é tão grave que os doentes têm de esperar 237 dias por uma consulta de ortopedia “muito prioritária” no Hospital de Faro, ou 820 dias (dois anos e meio) no caso de uma consulta normal. Face a esta situação “gravíssima”, o Centro Hospitalar do Algarve assinou um protocolo para que os utentes da região possam ser tratados a 300 quilómetros de distância, em Lisboa ou Setúbal. É caso para dizer: se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé…!

(Notícia completa na última edição do JA – dia 7 de abril)

Nuno Couto | Jornal do Algarve

pub

 

 

 

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste