Selos assinalam os 700 anos da Ordem de Cristo em Castro Marim

O município de Castro Marim lançou, na passada quinta-feira, a sua primeira coleção filatélica, comemorativa da instituição dos 700 anos da Ordem de Cristo nesta vila.

“Este é um momento marcante, já que estes carimbos com a marca da história castromarinense vão circular pelo mundo inteiro, em cerca de um milhão de exemplares de selos, começando pela correspondência do município”, realça a autarquia, frisando que um exemplar da coleção ficará patente no Museu das Comunicações de Portugal.

A cerimónia, que decorreu na Igreja do Castelo e foi conduzida por Pedro Rodrigues, em representação dos Correios de Portugal, e por Filomena Sintra, em representação do município de Castro Marim, teve casa cheia e contou com as presenças do presidente da Federação Portuguesa de Filatelia, António Borralho, do Padre Agostinho Pinto, responsável pela paróquia de Castro Marim, do diretor do agrupamento de escolas de Castro Marim, José Nunes, do professor Luís Arquilino, do historiador castromarinense António Salvador e do representante da Associação Filatélica Alentejo-Algarve, Francisco Galveias, as mesmas personalidades que carimbaram e assinaram os cinco envelopes que assinalaram o lançamento desta nova coleção.

700 anos de história

A Ordem de Cristo foi instalada a 14 de março de 1319, em Castro Marim, por ordem do rei D. Dinis, depois da extinção, pelo Papa Clemente V, da Ordem dos Templários, uma das mais famosas Ordens Militares de Cavalaria, fundada em 1118, no rescaldo da primeira cruzada.

“Com um papel determinante no período da reconquista, na atividade militar contra os mouros e no povoamento do território, a Ordem dos Templários era também detentora de um vasto património que, por direito, pertenceria à Santa Sé, facto que ameaçava a soberania do rei”, explica a autarquia, acrescentando que, “com o pretexto de defender a costa algarvia dos ataques de piratas e piratas magrebinos, D. Dinis consegue decretar a criação da nova Ordem religioso-militar”.

A primeira sede da Ordem de Cristo foi então o castelo de Castro Marim, com um dos mais sólidos sistemas defensivos de todo o Reino do Algarve e situado na fronteira marítima com Marrocos e nas imediações da comunidade islâmica de Granada.

Neste âmbito, um grupo de radioamadores e associações empenhadas na divulgação e promoção da história dos Templários Portugueses, vão levar a cabo, do Castelo de Castro Marim, de 22 a 24 de março, uma emissão radiofónica que assinala os 900 Anos dos Templários em Portugal e na Europa.

Será ainda entregue a este castelo o diploma dos Castelos Templários Portugueses, entrega simultânea nos castelos de Soure, Castelo Branco, Tomar e Santarém, todos eles sedes desta Ordem Militar, pela Associação de Radioamadores do Algarve.

Recorde-se que, em Castro Marim, no ano de 2016, foram investidos 13 membros, criando assim a Comendadoria de Santiago da Ordem dos Templários.

Na tarde de dia 23 de março, pelas 15h00, o castelo recebe a tertúlia “Dos Templários à Ordem de Cristo no Algarve”, com Maria Luís Francisco, seguida de uma sessão de Capítulo da Comenda de Laccobriga da Ordem do Templo – Ramo OSMTHU. O objetivo desta Comenda de Laccobriga é realizar uma cerimónia ritualística oficial da Ordem, comemorativa, mas aberta à participação da comunidade local, bem como trazer a espiritualidade e a ritualística templária ao local que foi a primeira casa dos templários portugueses já investidos como Ordem de Cristo.

Esta foi uma iniciativa da Câmara Municipal de Castro Marim em colaboração com os CTT – Correios de Portugal.

pub

 

 

 

pub

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste