Sem fumar “sinto-me mais livre”

 

.

Cada caso de sucesso é uma história e cada ex-fumador do concelho de Castro Marim, que recorreu ao programa de cessação tabágica da autarquia, tem o seu relato particular, mas todos convergem ao considerar que o facto do tratamento ser completamente gratuito “é fundamental” para que a tentativa de deixar de fumar tenha resultados práticos.

“O tratamento ajuda muito. Os medicamentos ajudam a deixar de ter vontade, mas se não fossem estas consultas na Câmara nunca teria conseguido”, considera Maria Armanda, que deixou o tabaco há cerca de um ano e meio, depois de 15 anos ‘agarrada’ ao vício.

Maria Armanda já tinha tentado deixar de fumar, antes de recorre ao programa da autarquia, mas sem sucesso: “Já tinha deixado de fumar, mas, um dia, apanhei um susto com um problema de saúde e quando saí da consulta pedi um cigarro à primeira pessoa que encontrei. A partir daí comecei a fumar ainda mais. Em vez de um maço por dia passei a fumar dois”, conta.

“Agora sinto-me diferente, já não acordo cansada… Por exemplo, quando queria comprar uma peça de roupa tinha que pensar duas vezes porque o tabaco era a prioridade. Sinto que sou outra pessoa. Sinto-me mais livre”, reconhece.

Domingos Viegas

Advertisements
Tamanho da Fonte
Contraste