Serviços hospitalares estão por um fio por falta de especialistas

Vive-se uma situação de “alarme” nos hospitais públicos da região, com queixas diárias de profissionais de saúde e utentes. O JORNAL do ALGARVE ouviu vários médicos que denunciam “grandes limitações” nas unidades de Portimão e Faro, que “põem em causa a segurança clínica das pessoas”. Há serviços esgotados, cirurgias em risco, atrasos na evacuação de doentes urgentes e uma grande carência de pessoal. “O que se está a fazer, na prática, é tapar buracos, ou seja, é dar resposta ao imediatismo”, avisam os médicos. Nesta reportagem, explicamos tudo o que vai mal na saúde no Algarve. E não é pouco…!

A situação chegou a um ponto limite. Quem o garante são os médicos que trabalham no Centro Hospitalar e Universitário do Algarve (CHUA), alertando que a segurança dos doentes “está a ser colocada em causa” nos hospitais algarvios.

A carência de recursos humanos, a falta de equipamentos e o atraso da construção do novo Hospital Central do Algarve são as principais razões apontadas pelos profissionais de saúde para explicar o agravamento dos problemas, que acontece “há muito mais de dez anos”.

Mas o grande problema do momento é “os serviços não estarem com a capacidade necessária para dar a resposta adequada” e isso “pode ter implicações na saúde dos algarvios”…

Leia a reportagem completa na edição em papel.

pub

 

 

 

Tamanho da Fonte
Contraste