Silva Pereira “indignado” com “despacho perverso”

“Surpresa” e “indignação” foram os sentimentos apontados pelo ministro da Presidência Pedro Silva Pereira na reacção ao despacho dos procuradores responsáveis pelo caso Freeport, os quais apontaram a falta de tempo como razão para não terem ouvido quer o primeiro-ministro, José Sócrates, quer o secretário de Estado do Ambiente à data dos factos, Rui Rodrigues. Para Silva Pereira, não existem razões para terem ficado por fazer perguntas com resposta fácil.

Em entrevista à SIC Notícias, o ministro da Presidência deixou a certeza de que poderia ter respondido facilmente às perguntas dos procuradores, caso lhe tivessem sido feitas, até porque, assegurou, não teve qualquer interferência no licenciamento do outlet de Alcochete.

Considerando o despacho «perverso» e afirmando que os procuradores “não foram sérios”, Pedro Silva Pereira garantiu ainda apoiar o inquérito decretado pelo Procurador-Geral da República, Fernando Pinto Monteiro, à investigação do caso Freeport.

Advertisements

pub

 

Advertisements
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Tamanho da Fonte
Contraste