ALGARVE ÚLTIMAS

Silvenses escolhem prioridades para o concelho

.

Entre os próximos dias 16 e 24 de maio, a Câmara Municipal de Silves volta a dinamizar mais uma edição do orçamento participativo, com a realização de sessões públicas em todas as freguesias do concelho.

Neste processo de participação dos cidadãos na tomada de decisão sobre os investimentos públicos municipais poderão participar todos aqueles que residirem ou trabalharem no concelho.

As sessões têm início sempre às 21h00 e estão calendarizadas para a junta de freguesia de São Bartolomeu de Messines (16 de maio), junta de freguesia de Silves (17 de maio), junta de freguesia de S. Marcos da Serra (21 de maio), junta de freguesia Algoz/Tunes (22 de maio), junta de freguesia Pêra/Alcantarilha (23 de maio) e na sede do clube “Os Armacenenses”, em Armação de Pêra (24 de maio).

A autarquia liderada pela presidente Rosa Palma (CDU) adianta que, nestas reuniões públicas, “os munícipes poderão pronunciar-se sobre os investimentos que considerem prioritários para a freguesia e o concelho, cabendo ao executivo fazer a avaliação final das propostas, com base em critérios técnicos, financeiros e estratégicos e integrá-las nos documentos de gestão que estiverem ao alcance das suas possibilidades”.

Quem não puder estar presente nas sessões poderá, igualmente, participar neste processo através do preenchimento de um inquérito que permitirá recolher opinião sobre a área de intervenção municipal e sobre os investimentos que se consideram prioritários no território. Os inquéritos estarão disponíveis, de 1 a 31 de julho, nas juntas ou uniões de freguesia, serviços de atendimento da câmara municipal e no portal da Câmara de Silves, devendo ser entregues, em papel ou eletronicamente, até ao dia 31 de julho.

“Partilhar anseios e responsabilidades”

De acordo com a presidente da câmara, “pela via da consulta à sociedade local é propósito da autarquia reforçar os laços de cooperação entre cidadãos e eleitos locais, partilhando anseios e responsabilidades, garantir o aprofundamento dos valores democráticos, num quadro de gestão mais eficiente, aberta e transparente”.

Rosa Palma acrescenta ainda que “no essencial, todo o envolvimento e processo de consulta, visa contribuir para o melhor funcionamento da autarquia e eficiente aproveitamento/aplicação dos recursos, definindo e respeitando prioridades, com o desígnio último de elevar os níveis de bem-estar das populações e o desenvolvimento do território do concelho de Silves”.

Em setembro e outubro realizar-se-á uma nova ronda de sessões públicas, nas quais o município irá comunicar os resultados da primeira fase do orçamento participativo e das propostas incluídas no orçamento, bem como o seu desenvolvimento.

NC|JA

Advertisements
%d bloggers like this: