Enfermeiros
COVID-19

Sindicato acusa Governo de descartar 50% dos enfermeiros admitidos na pandemia

A secção do Algarve do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) acusou hoje o Governo de “descartar” metade dos enfermeiros admitidos no âmbito da pandemia, um total de 30 em 60 profissionais, no concurso para efetivação no quadro do SNS.

O SEP recorda que nos últimos meses o Governo promoveu a abertura de concursos, a nível nacional, para efetivação do vínculo aos enfermeiros contratados por 4+4 meses em resposta à pandemia.   

“Contudo, ao permitir que a estes concursos possam concorrer todos os enfermeiros que o desejem (trabalhem ou não no SNS, com contrato a termo ou por tempo indeterminado) é muito provável que aqueles enfermeiros admitidos no âmbito da pandemia e após o esforço e a total disponibilidade para assegurar os serviços neste período sejam ‘descartados’”, censura o sindicato.

A estrutura regional considera inaceitável que o Governo só tenha disponibilizado 30 vagas para colocar a concurso no Algarve quando são cerca de 60 os enfermeiros que foram admitidos no âmbito da pandemia e que são, e vão continuar a ser necessários.

O SEP/Algarve exige que os critérios do concurso agora aberto valorizem, de forma excecional, os enfermeiros que se permitiram trabalhar em situação precária nestes últimos meses para garantir que a ARS pudesse “fazer brilharetes” de abertura de instalações provisórias e outras atividades que caso contrário nunca poderiam acontecer;

Exige ainda que de imediato o governo liberte mais vagas para garantir a admissão destes 60 enfermeiros, mas também para permitir a admissão dos estudantes de enfermagem que concluem o curso em junho/julho.

PUB
Tamanho da Fonte
Contraste